Paraná

Grupo suspeito de praticar roubos no oeste do Paraná é alvo de operação da Polícia Federal

Divulgação/PF
Durante as buscas foram apreendidas armas e munição

A Polícia Federal realizou uma operação, na manhã desta quinta-feira (18), contra um grupo suspeito de praticar roubos utilizando explosivos e armas de fogo na região de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Até o fim da manhã, 12 pessoas haviam sido presos preventivamente, dois suspeitos estavam foragidos, 13 mandados de busca e apreensão haviam sido cumpridos e um adolescente preso em flagrante.

As investigações contra a quadrilha começaram logo após a explosão de caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, em agosto de 2016, no Centro de Visitantes do Parque Nacional do Iguaçu. Na época, os vigilantes foram rendidos, e na fuga os suspeitos espalharam ‘miguelitos’ – pequenos pedaços de ferro para furar pneus – para evitar perseguição policial.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações identificaram diversas pessoas responsáveis por roubar malotes de empresas, residências, contra ‘compristas’ e contra veículos carregados de produtos estrangeiros.

O órgão cita ainda que o grupo criminoso investigado roubou o malote com dinheiro destinado a pagar colaboradores que trabalharam na aplicação da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em novembro de 2016.

Cinco pessoas suspeitas de integrar o grupo foram presas durante as investigações e um morreu em confronto com a Polícia Ambiental após um assalto a um hotel na Avenida das Cataratas. Ele era considerado um dos líderes da quadrilha.

Durante as buscas foram apreendidas uma espingarda, uma pistola e munição.

A operação foi denominada de Arcanjo devido ao grande número de ‘miguelitos’ utilizados pelos ladrões. É uma alusão ao Arcanjo Miguel.