Paraná

Produtores protestam contra a demarcação de terras indígenas em Guaíra

(Foto: Fotos: Joni Lang/OP)

Produtores rurais de Guaíra se mobilizaram nesta quarta-feira (06) para protestar contra a demarcação de terras indígenas no município. O grupo contou com ampla participação da sociedade urbana, tanto que muitas empresas permaneceram fechadas das 13 às 15 horas, fazendo com que proprietários e funcionários se engajassem no movimento. Também deram contribuição direta os produtores ligados aos sindicatos rurais de Terra Roxa, Pato Bragado, Marechal Cândido Rondon e Mercedes.

O ato teve início em frente do prédio da Justiça Federal do município e seguiu para o Ministério Público Federal e depois para a prefeitura da cidade. Além do manifesto, praticamente todo o comércio se manteve fechado, funcionando apenas órgãos públicos e serviços de emergência.

Segundo a organização do manifesto, em torno de quatro mil pessoas participaram do ato, já a Polícia Militar contabiliza cerca de sete mil pessoas. No trevo do Papagaio - próximo do posto da Polícia Rodoviária Federal - na Ponte Ayrton Senna e arredores ainda há um intenso congestionamento.

Para a próxima quarta-feira (13), está marcado um novo protesto, desta vez no munícipio de Terra Roxa. Clique aqui para ver a galeria de imagens.

 

História antiga

O impasse entre índios e agricultores na região Oeste já se estende por mais dez anos, desde a primeira invasão de índios a uma propriedade rural. Nas últimas semanas o clima voltou a esquentar, com a informação de que se implantaria um estudo, desenvolvido por técnicos da Funai (Fundação Nacional do Índio) que prevê a demarcação de cerca de 30 mil hectares, abrangendo áreas rurais e urbanas de Terra Roxa e Guaíra.

Além disso, um caminhão carregado de madeira, que teria sido enviado pela Funai para construção de melhores moradias, chegou à cidade de Guaíra na segunda-feira (04), causando indignação de comerciantes e agricultores. O caminhão precisou ser escoltado pela Polícia Federal.