Brincando na Praça 2019
Pastor Mário Hort

A luz do céu já brilhou sobre a sua vida? – 1ª parte

Já passaram mais de 30 anos, porém, na noite quando a “luz do céu” brilhou sobre uma casa em Nova Jersey (Estados Unidos), uma imagem se gravou em minha mente, como recordação colorida e divina.

Após um dos 53 cultos evangelísticos que minha esposa Natalia celebrou cantando comigo no Canadá e Estados Unidos, o morador daquela residência viu a luz do céu brilhar sobre a sua casa, em Jesus Cristo.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Ao colocar sua mão no trinco da porta, ele recuou e disse: “Hoje a salvação chegou para esta casa” – (Lc 19:9) – porque o seu filho que estava perdido durante oito anos havia voltado para Jesus e essa luz brilha ainda hoje na casa do filho do pastor Karl Kaefer.

Após aquele culto conhecemos a “Sky Light”, de Nova Iorque, porque o pastor nos levou até a borda do Rio Hudson para contemplar a “Sky Light de Nova Iorque” nos edifícios que atingem as nuvens no outro lado do rio.

A recordação daquela noite, quando avistamos as luzes dos altos edifícios de Nova Iorque, fez nascer o tema que iniciamos com a primeira parte em O Presente, e que foi escrito durante os sete dias, quando eu retornei à cidade e estive hospedado debaixo do Sky Light de NY.

Nas entrevistas tentamos saber se os nova-iorquinos conhecem a luz do céu, em Deus e em Jesus Cristo.

Logo ao chegar em Nova Iorque, perguntei para sete pessoas se elas conhecem a luz que brilha do céu em Deus e Jesus, porém apenas Rony, um homem idoso que pedia esmolas, disse “sim, eu sou judeu, creio em Deus e também em Jesus Cristo”. Foi um momento que me comoveu porque eu pude abraçar e fortalecer a fé deste irmão. Só esse encontro já valeu fazer a viagem.

A bênção sacerdotal mais antiga diz: O Senhor faça brilhar o seu rosto sobre ti e de ti tenha misericórdia”. Num 6:25

Em Nova Iorque já encontrei várias pessoas que disseram não saber o que significa “a luz do céu em Deus”.

Entrei em uma igreja evangélica na Broadway. Na primeira oportunidade encontrei a porta fechada. Na segunda o secretário solicitou que eu voltasse no domingo, quando certamente haveria várias pessoas que poderiam falar de suas experiências, mas ele pessoalmente não teria condições de falar da luz de Deus em Jesus Cristo.

“Rias (nome fictício) quando amanhece um dia, as luzes de Nova Iorque se apagam. Mas a luz do céu em Jesus vai nascer para sempre ao amanhecer o primeiro dia da eternidade”, comentei.

O senhor Rias gostou do tema da pesquisa, mas lamentou que ele não tivesse nenhuma experiência pessoal.

O melhor que pode acontecer para uma pessoa é quando o rosto de Deus brilha sobre a sua vida, porque onde quer que ela esteja ali a luz que brilha do semblante de Deus lhe mostrará os abismos na noite escura, iluminará o caminho estreito e lhe indicará o passo certo que deve dar.

TOPO