Copagril
Pastor Mário Hort

A luz do Natal pelo consolo pastoral

A Bíblia diz: “O povo que andava em trevas viu grande luz e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a luz”. Isaías 9:2

Durante o tempo de meu pastorado, quando ainda estive na ativa, em meio à agitação natalina, telefonei para meu amigo e colega pastor Arminio Kopp (que visitamos no fim de novembro 2017), de São Paulo, e ele respondeu:

Casa do Eletricista PISCINAS

 “Tive um dia muito difícil. Às 02h30 da madrugada um homem que mora sozinho pediu uma visita, pois ele estava morrendo de medo em sua solidão. Às 07 horas chegou outro homem que tinha problemas conjugais. Quando este estava enxugando as lágrimas, saindo de nossa casa, às 08 horas chegou outra senhora pedindo socorro por problemas familiares. Era a esposa de nosso caseiro da chácara, que produz alimentos para a nossa creche. Eles haviam se separado e eu precisava visitar a família a 30 quilômetros de distância. Ao chegar à chácara, o caos foi total; a família estava destruída. Decidi, então, levar os filhos para a creche, a esposa iria procurar um emprego e o homem ficaria abandonado. Nesse momento o caseiro se desesperou e então eu lhe disse: ‘Existe outra alternativa, o seu arrependimento’. Nesse momento o casal concordou em apelar para o arrependimento diante de Deus e eu pedi que eles unissem as quatro mãos. Coloquei minhas mãos sobre as mãos do casal e pedi que ele repetisse as minhas palavras: ‘Eu me arrependo de haver cometido pecado; prometo que nunca mais vou repetir o erro; eu prometo ser fiel até a morte; e diante de Deus eu digo sim para um novo começo’. O homem repetiu fielmente cada frase e quando terminou, entre risos, choros e beijos, o casal se abraçou para um novo começo e eu, exausto e sem forças, fui para casa, voltando o trajeto de 30 quilômetros”.

A história desse dia de Natal do pastor Arminio foi a maneira mais impactante que ele usou para me dizer que estava bem, e em pleno vigor de seu trabalho. Esta é a grande luz que resplandeceu nas trevas desde Belém de Judá, quando Jesus nasceu, e ilumina também as periferias da cidade de São Paulo ainda em nossos dias.

TOPO