Copagril
Arno Kunzler

A NAÇÃO ESTÁ NERVOSA…

O povo brasileiro está nervoso com a classe política. E não é por menos. Estamos mergulhados na mais profunda crise política, provavelmente, da história do país. Até porque se houveram outras em épocas distantes, não as conhecemos como esta.

Os brasileiros estão intolerantes e diante da malversação do dinheiro público, querem agir e, muitas vezes, agem erradamente.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Durante as manifestações de professores no início do ano contra do Governo do Paraná, ouvi muitas pessoas dizerem assim: se eles (políticos e magistrados) podem se conceder benefícios por que nós, professores, que trabalhamos não podemos lutar pelos mesmos direitos?

Mais recentemente vivenciei dois momentos diferentes, em duas viagens a Curitiba.

A primeira vez os índios bloquearam a rodovia 277 na altura de Laranjeiras do Sul por causa da morte por atropelamento de um deles.

Nem digo por mim, que tinha compromisso com hora marcada em Curitiba, mas caminhoneiros que deixam suas casas de madrugada, precisando ganhar dinheiro para sustentar a família e pagar a prestação no fim do mês, ficam ali, parados, vendo a inércia da polícia diante de uma agressão ao interesse coletivo.

Há poucas semanas novamente indo para Curitiba, um grupo de sem-terra resolveu seguir o exemplo dos índios e simplesmente bloqueou a rodovia.

Novamente você para, sem orientação, sem saber se vai ficar ali uma ou oito horas, e percebe caminhões carregados com animais vivos, outros levando ração para animais famintos e assim por diante… e onde está a polícia?

Apenas observando, vendo e esperando algum tumulto para agir.

E se algum caminhoneiro mais nervoso agir contra o bloqueio, é ele que vai ser levado para dar explicações… Ora, a revolta de quem está na rodovia nessa situação é muito grande e o Estado dá o direito para quem quer reivindicar algo para si, mesmo que para isso precisa prejudicar o próximo.

Agora é a vez dos caminhoneiros. Novamente se ouve a mesma coisa, se os índios e os sem-terra podem, por que nós não podemos bloquear as rodovias?

Ora, o direito de lutar por algo melhor para si é legítimo e deve ser respeitado. Qualquer entidade ou cidadão tem o direito de reivindicar, de lutar por aquilo que melhora suas condições de trabalho e a vida da sua família. Mas se fizer isso prejudicando outros, deixa de ser uma reivindicação sensata e um protesto justo.

Assim como os professores fazendo greve prejudicam os alunos, os índios e os sem-terra bloqueando as estradas prejudicam os caminhoneiros, assim como, agora, os caminhoneiros bloqueando as rodovias prejudicam toda a sociedade que naquele momento precisa ir ou vir.

O nervosismo dos brasileiros com seus governantes, a inércia da polícia e a ausência de leis mais enérgicas para quem tumultua o direito de ir e de vir, de estudar ou ter acesso à saúde, só aumenta a nossa “pobreza”.

Não vamos ganhar nem dinheiro e nem receber melhores serviços de algum órgão público agindo assim, impedindo que os outros vão bem por nossa deliberada ação de protesto.

Pelo contrário, nosso foco, que é combater os desmandos dos governantes, os privilégios dos políticos e a corrupção, acaba sendo desviado.

Somos hoje uma Nação nervosa e dividida.

Diante de um governo sem autoridade, cada um impõe a sua própria lei.

Onde isso vai parar?

 

* O autor é jornalista e diretor do Jornal

arno@opresente.com.br

TOPO