Dom João Carlos Seneme

A oração nos ensina a ficar de pé diante do Filho do Homem

Todos os anos, o Tempo do Advento nos traz a boa notícia de uma nova esperança e de um caminho que continua, não obstante os tropeços e desvios, os perigos e consciências entorpecidas. A viagem da Palavra continua e nós caminhamos com ela, na certeza de que ela nos foi dada para que se torne fonte de vida em nosso caminho na direção de Deus.
Com o 1º Domingo do Advento, neste 28 de novembro iniciamos um novo Ano, diferentemente do ano civil. Com o Tempo do Advento, a Liturgia da Igreja inicia um “ano novo” onde nossa vida de fé é marcada e ritmada pela celebração do Mistério de Jesus. É Ele o centro de nosso calendário de celebrações. Nosso encontro é sempre com a pessoa de Jesus. O ciclo das leituras bíblicas dominicais corresponde ao Ano C, no conjunto, vamos acompanhar os passos de Jesus pelo evangelista Lucas.
Neste domingo, 1º Domingo do Advento, iniciamos um novo Ano Litúrgico. Vamos acompanhar a vida de Jesus a partir dos relatos dos evangelhos de São Lucas. O Ano Litúrgico evoca e atualiza a história da salvação “já” realizada e é, ao mesmo tempo, promessa e antecipação da história da salvação que “ainda” deve se realizar. O Advento, neste contexto, é um apelo para se viver alguns comportamentos essenciais do cristão: a expectativa vigilante e alegre, a esperança, a conversão, a pobreza. Somente na vivência profunda destes elementos, o nascimento de Cristo terá um sentido profundo em nossa vida e não uma simples lembrança histórica.
No Evangelho de hoje, Jesus se encontra em Jerusalém alguns dias antes de sua morte e Ressurreição. Estão com ele, Pedro, Tiago, João e André. Eles representam a comunidade cristã de todos os tempos. Jesus sabe que sua comunidade deverá passar por experiências dolorosas de perseguição, divisão, tentação de abandonar a missão. Por isso Jesus fortalece, estimula e sustenta. “Erguei a cabeça porque vossa libertação está próxima”. Deus não abandona jamais o seu povo, Ele enviou o rei Davi no passado e agora envia Jesus Cristo, que cumpre as promessas de Deus para a humanidade perdida no pecado.
Atitudes que o Evangelho sublinha para quem espera a salvação que vem de Jesus: levantar a cabeça, saber em quem colocar a esperança, desenvolver uma atitude de oração vigilante.
Não podemos deixar de lado a responsabilidade da esperança, esta é a primeira missão que recebemos de Jesus. Temos que recuperar o rosto vivo de Jesus que atrai, chama, interpela e desperta. Para isso precisamos esperança que se fundamenta no Cristo Ressuscitado que “faz nova todas as coisas”. É este espírito de Natal que pode revolucionar nosso mundo. “Vigiai e orai”. Vigilância e trabalho de discernimento, ativos na missão, seguindo os passos de Jesus Cristo.

O autor é bispo da Diocese de Toledo
revistacristorei@diocesetoledo.org

Casa do Eletricista VERÃO 2022
Grupo Costa Oeste 2021
TOPO