Copagril
Dom João Carlos Seneme

A Palavra se fez carne e habitou entre nós e nós vimos a sua glória

“Um menino nasceu para nós: um filho os foi dado! O poder repousa nos seus ombros. Ele será chamado Mensageiro do Conselho de Deus”. Hoje nasce para nós o Salvador, o Cristo Senhor! As leituras de hoje estão carregadas de sinais contraditórios entre si: trevas e luz, inimizade e paz, morte e vida. Em meio a tudo isso há um menino que se coloca no centro e ilumina tudo e dá um sentido novo para a humanidade. Seu encanto, sua fragilidade, seu mistério, seu destino nos revelam o que as palavras não conseguem descrever: o mistério de Deus que se faz humano para nos salvar.

Diante do Menino-Deus temos que deixar de lado o grande, o adulto, o raciocínio, a compreensão e se encantar com a pureza e a simplicidade. Silêncio e admiração são a porta para entrar na adoração e na alegria do Natal.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Na oração do Creio nós rezamos que Jesus é o Unigênito Filho de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai, por ele todas as coisas foram feitas”. A fé da Igreja se fundamenta na revelação, na Palavra de Deus que e fez carne e habitou entre nós! O próprio Deus quis se tornar um de nós para nos salvar. Jesus é Deus-conosco que vem para nos garantir a vida eterna com sua morte e ressurreição. Neste projeto de amor se envolve a Santíssima Trindade, a família divina. Acolher Deus no meio de nós na fragilidade de uma criança que está na manjedoura e precisa da mãe para sobreviver é acolher a luz de Deus. Uma nova oportunidade se abre para nós, não porque a merecemos, ela é dom de Deus. “Todos os que acolheram a Palavra de Deus tornaram-se filhos de Deus”.

Deste modo, não celebramos somente o Natal de Jesus, mas também nosso Natal, porque o nascimento de Jesus marca nosso renascimento. Em Jesus nos tornamos filhos do Pai, através dele fomos adotados como filhos. Esta é a esperança que renasce no dia de Natal: ouvir do próprio Deus: Tu és o meu filho! No dia do seu nascimento, Jesus está nos dando uma nova oportunidade de renascer para uma vida nova, independentemente de nossos méritos, idade, situação econômica. É vontade de Deus. Ele nos pede somente nossa adesão incondicional, a fé. E, a partir dela, uma vida que reflita que somos realmente filhos de Deus.

A verdade que nos é revelada no Natal é que Deus entra na história humana para dar uma nova dignidade àqueles que vivem na escuridão, que não esperam mais nada, que vivem sem esperança e sem futuro. O menino na manjedoura é o “sim” definitivo de Deus à humanidade.

Feliz e abençoado Natal a todos!

TOPO