Ecoville – Maior rede de limpeza
Silvana Nardello Nasihgil

Abandono emocional: reflita sobre isso!

O amor que não recebemos está no amor que não damos

 

Hoje quero partilhar com vocês uma reflexão muito importante, porque dela advém muitos dos sofrimentos psíquicos e emocionais. Convido você para juntos pensarmos sobre o abandono emocional. Não o abandono emocional praticado pelos outros, mas o abandono emocional de si, de cada um, aquele em que nos abandonamos e ficamos em um vácuo esperando, esperando, pelo outro para nos suprir.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Está muito evidente que o amor tem um poder incrível de salvar vidas. O acolhimento e a escuta fazem parte desse contexto, e quem não prestar atenção e não se envolver por completo com esses sentimentos é quase certo que sofrerá danos emocionais e psicológicos.

Muito da desesperança e da falta de sentido da vida está ancorado no déficit de amor. Quando nos abandonamos e acreditamos não sermos dignos de sermos amados, fica um vazio no coração que pode ser sentido na alma. Esse vazio, não encontrando na vida nada que o preencha, vai se transformar em sofrimento, um sofrimento crescente que não encontra elementos para preenchê-lo. Então, a vida perde a cor e nada mais parece fazer sentido. Precisamos pensar muito a respeito, porque, muitas vezes, o amor que não recebemos está no amor que não damos.

Muita gente passa a vida esperando que os outros supram as suas carências e vai esquecendo de se amar, esquecendo que a vida exige atitudes e que ser ajudado começa no desejo de se autoajudar.

E vamos seguindo… esperando… esperando… permitindo que a vida vá se esvaindo silenciosamente, calando os nossos sonhos e desejos, nos permitindo enfraquecer por delegarmos ao outro a obrigação de nos suprir de afetos e de nos fazer feliz.

A vida possui muitos elementos que precisam ser buscados. Nada acontecerá como mágica, porque se nos permitirmos enfraquecer, podemos nos tornar um peso para os outros e não uma razão para que permaneçam ao nosso lado por amor.

Muitas vezes, desavisados pelo sentir, a vida vai nos roubando a esperança e, focados na espera do outro, vamos perdendo a nossa essência. Muito provável, adoeceremos.

Precisamos estar atentos e não desviarmos o foco daquilo que somos e de tudo o que podemos ser, porque tudo começa do nosso lado de dentro, e para abrir cada um possui a sua chave. Se faz necessário colarmos essa chave na fechadura e fazermos o esforço de girá-la, só assim saberemos o que existe do lado de lá do sofrimento. Permita-se, porque do lado de lá existe esperança.

A vida acontece a cada segundo e com ela estão todas as possibilidades, até aquelas sobre as quais jamais pensamos. Quando digo às pessoas que cada um pode ser e ter o que imaginar, eu não estou fantasiando, desejando criar falsas expectativas. Nós podemos, sim! Mas para que qualquer coisa possa acontecer, precisamos desejar de verdade, precisamos olhar para dentro de nós, crermos que somos merecedores do que existe de melhor e possibilitar a busca abrindo assim as portas para o encontro.

É natural nos perdermos no caminho imaginando que não somos capazes, e então perdemos forças de ir além. É nas horas que nos sentimos enfraquecendo, em que deixamos de nos amar, de nos percebermos, que não podemos desistir, porque sempre haverá o plano B.

O que é inconcebível em momentos de dificuldade é culpar o outro pelos nossos desencontros, porque se o outro não estiver ao nosso lado, abandona e segue sozinho(a) com tudo de maravilhoso que existe dentro de você.

Não nascemos em duplas. Ao longo do caminho encontramos quem possa vir para acrescer, mas quem não cumpre esse papel na nossa vida, não merece permanecer.

E quando sozinho(a), se mesmo pensando em tudo isso, a sensação de abandono continuar e você não estiver conseguindo? Peça ajuda! Vá além de você. Existem profissionais preparados para lhe ajudar a se encontrar. Não fique sofrendo como se nada mais tivesse jeito. Não se permita morrer por dentro e perder as esperanças de viver, porque existem muitos jeitos de você não ficar preso(a) naquilo que te emudece e te faz infeliz, mas o primeiro passo só você pode dar. Ele depende totalmente de você.

Divido esse reencontro com Deus, porque eu sei e posso afirmar que Ele é um grande aliado na vida de quem crê.

Com tudo isso, você ainda acredita que precisa continuar sofrendo? Você ainda pensa que não tem mais jeito?

Tem jeito, sim!!! Olhe para você e observe quantas coisas você já enfrentou e venceu. Isso prova que jamais devemos desistir de nós. O viver está sempre no momento seguinte e existe uma vida inteira feita de momentos incríveis. Permita-se encontrá-los.

 

Silvana Nardello Nasihgil é psicóloga clínica (CRP – 08/21393)

silnn.adv@gmail.com

TOPO