Dom João Carlos Seneme

Alegrai-vos, a vinda do Senhor está próxima!

O terceiro Domingo do Advento é considerado o Domingo da Alegria. Na primeira leitura, o profeta Isaías faz um autêntico “hino à alegria”, destinado a despertar a esperança e a revitalizar o ânimo dos exilados. Qual a razão dessa alegria? É que Deus “está aí para fazer justiça”: Ele vai intervir na história, vai salvar Judá do cativeiro, vai abrir uma estrada no deserto para que o seu povo possa regressar triunfante em Sião: “Alegrem-se o deserto e a terra seca. Dizei aos aflitos: Coragem! Nada de medo! Aí está o vosso Deus, ele vem para salvar”. É justamente este o significado do nome Jesus: Deus salva. As atitudes de Jesus desconcertam até João Batista, que também aguarda a vinda do Messias, “aquele que há de vir”. João está na prisão e envia alguns de seus discípulos para saber se Jesus é o Messias aguardado. João esperava o Messias como um juiz escatológico, armado de pá e fogo, como dizia a Sagrada Escritura. As notícias que recebe falam de um Jesus benéfico, acolhedor, disposto a perdoar. Jesus responde primeiramente sobre sua pessoa e missão: relata os milagres que realiza, cegos recuperam a vista, paralíticos andam, seguindo as profecias antigas como já foi relatado pelo profeta Isaías. A realização destas profecias confirma sua missão. A resposta de Jesus a João é suficiente para que este reconheça que a salvação chegou hoje através de Jesus pelas suas palavras e ações. Ou seja, Jesus é o Messias, não é preciso esperar outro. Por onde Jesus passa a vida vai sendo restaurada!Agora é a vez de Jesus falar de João. Jesus elogia o modo de ser de João e questiona as pessoas que se orientam pelas aparências: Ele é mais que um profeta, é quem prepara o caminho do Messias.Este é o drama de esperança que vivemos hoje. Onde se encontra o verdadeiro Deus? Agora sabemos pela fé em Jesus que Deus nos deu tudo: o perdão, um modo de vida, a esperança. Podemos repetir com os apóstolos: “Senhor, a quem iremos? Só tu tens palavras da vida eterna”! Devemos aprender com João Batista que Jesus Cristo vem a nós com uma palavra nova, um jeito novo para explicar nossa história, iluminar nossas vidas e dar sentido novo e permanente. João Batista soube analisar os feitos de Jesus, compará-los com a pregação dos profetas de outrora e reconheceu o dedo de Deus nos gestos de misericórdia de Jesus. Devemos crer que Cristo é o futuro absoluto da humanidade e chama nossa atenção para o serviço, que é o futuro de nossas comunidades, sabendo que será necessário muito empenho, trabalho, confiança e esperança. O mundo espera um sinal visível da presença de Cristo, que vem através de nossa unidade e ação, principalmente na partilha do perdão e do pão, lutando por um mundo mais justo e fraterno onde todos acreditem que Jesus Cristo, mais uma vez, nasce no meio de nós. A Igreja no Brasil realiza anualmente a Campanha para a Evangelização (CE). Ela foi instituída pelos bispos em 1997 e realizada pela primeira vez em 1998, com o objetivo de despertar nos fieis o compromisso evangelizador e a responsabilidade pela sustentação das atividades pastorais da Igreja no Brasil.Esta campanha, com um tema e um lema, inicia-se sempre na solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, se estendendo pelo Tempo do Advento. Neste domingo, 15 de dezembro, a CE faz a coleta em todas as Paróquias e Comunidades espalhadas no território nacional. Temos urgência em alcançar estes objetivos. É o que expressa o slogan: EVANGELI.JÁ, que nos convida a integrar efetivamente nessa campanha. “Ai de mim se não evangelizar” (1Cor 9,16). A hora é agora! Vamos assumir nossa missão de evangelizadores?
O autor é bispo da Diocese de Toledo
revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO