Editorial

Alento, e bola pra frente!

 

Por semanas e mais semanas, a angústia dos agricultores do Oeste do Paraná parecia não ter fim. Nenhum pingo de água caia do céu, ou quando caía, vinha desuniforme e insuficiente. Dezembro chegou juntamente com as perdas nas lavouras, que deixaram para trás a capacidade produtiva.

Como o clima não colaborou com o desenvolvimento das plantas em uma das fases mais críticas da soja, a colheita no ano safra 2018/2019 foi antecipada na região. Marechal Cândido Rondon teve as primeiras áreas colhidas por volta do dia 18 de dezembro. Contudo, mesmo com a colheita precoce, o produtor segurou as pontas e não semeou o milho de 2ª safra logo na sequência.

Preferiu esperar uns dias e dar preferência por semear as lavouras a partir do dia 10 a 15 de janeiro. De olho, logicamente, em melhores resultados. Isso porque semear o milho cedo poderia trazer novos riscos, como encarar uma possível estiagem em março, período que coincide com o florescimento da cultura.

Com esse e mais outros cuidados, diminui a chance das plantações serem atingidas por geadas. Ou seja, no período em que houver risco de geada na região, o milho já estará maduro e talvez até colhido, podendo ser retirado da lavoura da segunda quinzena de maio para frente, escapando das baixas temperaturas.

É uma cartada determinante, e um alento aos produtores oestinos, uma vez que a safra de verão se resumiu em frustração.

Depois de seis safras muito boas, o resultado, desta vez, foi de perdas, maiores ou menores, mas, de qualquer forma, de perdas.

Desse jeito, não surpreende saber que a projeção inicial do Deral para os 20 municípios do Oeste, que era colher 1.805.280 toneladas de soja, caiu para 1.062.948. É uma redução de 39%, um número bastante impactante.

Somente em Marechal Rondon cerca de 700 agricultores acionaram o Proagro – Programa de Garantia da Atividade Agropecuária criado para atender aos produtores rurais que tenham dificuldade em liquidar o custeio da safra por conta de ocorrências de fenômenos naturais, pragas ou doenças que atinjam os rebanhos e as plantações.

Se deu “Proagro” na safra, é virar a página e focar na safrinha. Que o plantio antecipado do milho permita tranquilidade para que os agricultores possam fugir de possíveis problemas climáticos.

TOPO