Copagril
Pastor Mário Hort

Angolano, russo e nova-iorquino, vocês estarão entre os poucos que serão salvos? – 4ª parte

Entrevistas por internet desde Moscou para Bunga Félix Nzinga, Angola. O que acontece na alma de uma pessoa que, de repente, pode dizer: “Sim, eu sei pela fé em Jesus Cristo que estarei entre os poucos que serão salvos”.

Bunga Felix escreveu: “Quando dizemos ‘SIM’ pela fé a Jesus Cristo, nos sentimos transformados e recebemos uma paz interior profunda. Logo, nos sentimos pertencentes ao Reino dos Céus. A salvação de nossa alma é uma certeza; todo o temor vai embora. Jesus é maravilhoso!

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Quando sentimos pela fé que estaremos entre os poucos que serão salvos a alegria é profundamente maior, a paz preencherá o nosso coração. Mais ainda nossa vida torna-se mais alegre, pois vivemos uma vida com propósito e esperança. Nada melhor que ter a certeza da salvação. Paz e bênçãos a todos os filhos e herdeiros do Reino. Forte abraço a meu pai na fé, Mário Hort”.

 

Walentin Schuele, orador do rádio para a Rússia. Você será um dos poucos que serão salvos?

Walentin: “Muitas pessoas não querem ou não podem dar uma resposta clara a essa pergunta. Pois, dizem que ‘crer’ não é ‘saber’. Mas, em toda nossa vida cremos em questões muito sérias que enfrentamos todos os dias.

Cada vez que eu entro em uma aeronave eu ‘creio’ firmemente que iremos aterrissar com segurança. Eu confio plenamente nas pessoas que respondem pela aeronave e por toda viagem.

Ao tratar-se de minha salvação eu também confio plenamente naquele que fez tudo por minha salvação, Jesus Cristo.

Ele me deu a promessa: ‘Aquele que crê em mim, e naquele que me enviou, este tem a vida eterna’, e isso é suficiente para mim. Ninguém neste mundo pode me garantir algo melhor que a minha salvação”.

 

Entrevista via internet com Daniel Martin – Nova Iorque

Daniel, você foi missionário em Moçambique, como ensinava as pessoas para que ficassem livres do medo dos espíritos dos mortos e obtivessem a certeza de estar entre os poucos que serão salvos?

Daniel: “Na população de Moçambique, África, muitas pessoas acreditavam que o mundo físico depende do mundo dos espíritos dos mortos que morreram naquela área. Quando alguém adoecia, eles acreditavam que isso tinha sido provocado por um espírito que morreu ali. Mesmo quando a terra produzia bom milho ou quando não havia produção; chovia ou havia tempo de estiagem; alguém morria ou quando havia um acidente…

Qualquer problema na sociedade eles acreditavam que havia sido provocado pelos espíritos e as pessoas tinham que fazer algum sacrifício para acalmá-los.

Eles tinham medo de fazer viagem fora da sua zona porque lá os espíritos dos mortos não eram parentes e até poderiam matá-los. Percebi que também as pessoas das igrejas acreditavam que seria assim.

Eu perguntava para Deus: como podem ser livres desse medo? Eu vi que ir à igreja, ler a Bíblia e cantar, nada disso foi suficiente.

Somente quando a pessoa entregava sua vida totalmente a Deus e experimentava do Seu poder. Tão somente o poder transformador de Deus se fazia presente na vida das pessoas. E então, eles acreditavam que o poder de Deus era maior e mais poderoso que o dos espíritos.

Assim, eram libertos e as pessoas começavam a serem felizes.

A partir disso, tinham paz e podiam ir viajar, fazer projetos novos e viver sem medo de serem castigadas porque tinham a proteção de Deus. Logo, eu podia ver a felicidade nos seus rostos. Somente Deus pode dar essa liberdade”.

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

TOPO