Copagril
Dom João Carlos Seneme

As ovelhas escutarão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor

O 4º Domingo da Páscoa, devido ao Evangelho proclamado, é denominado “Domingo do Bom Pastor”. É uma imagem importante para os primeiros cristãos. Diante da perseguição por causa fé, recorriam a imagem do Cristo como Bom Pastor para sustentarem a fé: o bom pastor cuida de suas ovelhas, dá a vida por elas.

O Evangelho retrata dois tipos de pastores. Um é apontado como mercenário; ele trabalha somente por causa do dinheiro, não ama as ovelhas, sabe que as ovelhas não são suas e as trata somente como um número porque deve prestar contas a quem o contratou. O outro pastor é apresentado como o bom pastor: as ovelhas são suas, conhece a cada uma e cuida delas com amor. Se alguma se desvia, vai ao seu encontro para trazê-la de volta. Ele protege as ovelhas dos predadores. É um pastor misericordioso que deixa as 99 ovelhas protegidas e vai pessoalmente buscar a que se perdeu. Esta imagem indica que para Deus toda pessoa humana é importante. Jesus na cruz deu a vida por todos. Por isso é o Bom Pastor.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Neste mesmo dia o Papa Francisco pede que rezemos pelas vocações e nos oferece uma bela reflexão sobre o tema. Este ano ele propõe o tema: “Escutar, discernir, viver a chamada do Senhor”. O pano de fundo é a realização da 15ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que será dedicada aos jovens, particularmente a relação entre jovens, fé e vocação. O chamado de Deus é sempre uma boa notícia dirigida a toda humanidade. É um dom que deve ser acolhido no íntimo dos corações. É o próprio Deus que vem ao nosso encontro e se propõe como caminho de salvação.

“Deus nos acompanha ao longo das estradas por vezes poeirentas da nossa vida e, sabendo da nossa pungente nostalgia de amor e felicidade, chama-nos à alegria. Na diversidade e especificidade de cada vocação, pessoal e eclesial, trata-se de escutar, discernir e viver esta Palavra que nos chama do Alto e, ao mesmo tempo que nos permite pôr a render os nossos talentos, faz de nós também instrumentos de salvação no mundo e nos orienta para a plenitude da felicidade”.

Da nossa parte cabe acolher este gesto de amor e fazer de nossa vida uma contínua oferta para que outros possam conhecer que também foram salvos por Jesus.

Por isso, o Evangelho ressalta a estreita relação entre Jesus, pastor, e suas ovelhas. Neste contexto, Ele nos ajuda a entender quem faz parte do seu rebanho. Certamente, não fazem parte d’Ele aqueles que o levaram à morte, pois esses não escutaram a sua voz, rejeitaram a sua palavra e sua obra. Fazer parte do rebanho de Jesus é acreditar num mundo bom partilhar a acolhida e a misericórdia.

Que a Palavra nos estimule a ouvir com atenção e dedicação a voz de nosso Pastor e crie um espaço em suas vidas para viver a experiência do amor gratuito e desinteressado e ir ao encontro de quem precisa de nós.

Rezemos pela fidelidade de todos os consagrados de nossa Diocese: bispo, padres, diáconos, seminaristas, religiosas e religiosos. Que o Senhor Ressuscitado estimule novas e santas vocações!

 

revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO