Copagril
Tarcísio Vanderlinde

Cenário profeticamente escolhido

 

A festividade do Natal é associada a uma tradição muito esperada na cristandade. Mas nem todos os cristãos costumam celebrar a data. Diferentemente também, o ramo ortodoxo do cristianismo celebra o Natal no início de janeiro, quando se acredita ser a ocasião da visita dos magos do Oriente a Jesus. Persistem dúvidas sobre a real data do nascimento de Cristo. Na comemoração, costuma-se trocar presentes num clima que pouco lembra o aniversariante ilustre.

Como se sabe, o aniversariante nasceu em Belém, uma aldeia muito próxima a Jerusalém. Do kibutz Rachel Ramat, na periferia de Jerusalém, pode-se avistar os campos dos pastores e Belém. Contudo, outro lugar ainda mais próximo a Jerusalém está associado ao retorno desse aniversariante. Trata-se do monte das Oliveiras, que, conforme a Bíblia, fica “a distância do caminho de um sábado” de Jerusalém. Cerca de um quilômetro apenas.

Casa do Eletricista CÂMERAS

A maior parte do território do monte das Oliveiras hoje é tomada por um cemitério, onde houve sepultamentos desde o primeiro século da era cristã. Desde o sopé ao cume o monte está pontilhado de lugares sagrados para o mundo cristão. No sopé continuam as oliveiras milenares, testemunhas silenciosas da agonia de Jesus no Getsêmani.

Em algum lugar deste monte Jesus teria ensinado a oração do Pai Nosso. De acordo com relatos bíblicos, o mestre circulou por este lugar muitas vezes, algumas delas possivelmente para visitar seus amigos Lázaro, Maria e Marta, que viviam na aldeia de Betânia nas adjacências orientais do monte.

O retorno do aniversariante a este ambiente foi previsto pelo evangelista Lucas em Atos dos Apóstolos. Sem marcar data, pode-se encontrar dicas em outros textos que o retorno seria num tempo de acentuada descrença e predomínio de iniquidades pelo mundo afora.

Não deixa de ser curiosa a profecia do Antigo Testamento, atribuída ao profeta Zacarias, que aponta para um evento futuro no monte das Oliveiras. “Naquele dia, os seus pés estarão sobre o monte das Oliveiras, a Leste de Jerusalém, e o monte se dividirá ao meio, de Leste a Oeste, por um grande vale; metade do monte será removida para o Norte e a outra metade para o Sul. […] O Senhor será rei de toda a terra. Naquele dia, haverá um só Senhor e o seu nome será o único nome”.

Parte significativa da cristandade que celebra o nascimento de Cristo aceita que o texto de Zacarias se refere à emergência do reino messiânico de Cristo. O monte das Oliveiras, com localização geográfica precisa, foi o cenário profeticamente escolhido para o retorno do aniversariante. Impossível sentir-se indiferente ao sentido simbólico do monte ao vê-lo de Jerusalém, ou ao senti-lo no pé.

 

O autor é professor da Unioeste

tarcisiovanderlinde@gmail.com

 

TOPO