Editorial

Chuva é vida

Dois mil e vinte e dois começou e não poderia ter começado melhor: com chuva.

A chuva que caiu na segunda-feira (03) em Marechal Cândido Rondon e microrregião trouxe alento à crise hídrica que castiga não somente o homem do campo, mas também o campo e os animais; a natureza e os cidadãos em geral. Nos demais dias ao longo desta semana, as precipitações foram menos intensas, mas, da mesma forma, muito bem-vindas.

[ Publicidade ]
Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Por aqui não víamos uma chuva significativa há cerca de 70 dias. As altas temperaturas, um dia após o outro, com termômetros chegando a marcar mais de 50ºC lavouras afora, fez o cenário que já não era animador se tornar desolador.

[ Publicidade ]
Nied maio 2022 w

A safra verão 2021/2022, em grande parte, foi por “água abaixo”. Não há propriedade que tenha passado ilesa desta estiagem severa que se intensificou em dezembro, mas que, na verdade, vem trazendo dor de cabeça ao Paraná desde 2019.

Enfrentamos uma das maiores secas da história do Estado e, em vista disso, uma série de problemas vão se acumulando, seja na agricultura, seja no abastecimento de água, no campo e nas cidades.

É por isso que o cheiro de terra molhada que sentimos esta semana trouxe muitos bons sentimentos. Sorrisos nos rostos, felicidade no ar.

Tudo se transformou. Até a natureza sorriu, assim como os animais. Os dias se tornaram mais leves, as noites mais amenas.

Além de proporcionar um clima agradável, a chuva desta primeira semana do ano novo trouxe esperança.

Por mais que tenha vindo tardia e que não resolva em grande parte os prejuízos consolidados especialmente nas lavouras de soja e milho da região, que somam perdas bilionárias, trouxe alento e perspectiva de dias melhores. Água caindo é sinal de recuperação. E o que precisamos agora é recuperar, recomeçar, reviver.

A expectativa é que as precipitações se tornem frequentes daqui para frente para que a segunda safra de milho seja boa e faça com que o Paraná colha o suficiente para suprir as suas necessidades e possa atender as atividades pecuárias das cadeias das proteínas de frango e suínos, entre outras.

Como diz a poesia, chuva é vida! Quando chove, a fartura é garantida. Tem verde na plantação, brota a semente no chão e na mesa do cidadão.

Viva a chuva. Chuva é vida!

TOPO