Paraná Produtivo - ADI-PR

CMN autoriza instituições financeiras a renegociar operações de crédito de produtores e cooperativas

CMN autoriza
O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou que as instituições financeiras renegociem operações de crédito de custeio e de investimentos dos produtores rurais e cooperativas. A renegociação vale para quem teve prejuízo em decorrência de seca ou estiagem. Em nota, o Ministério da Economia afirmou que a decisão do CMN busca “reduzir os efeitos negativos sobre as atividades do setor agropecuário em decorrência da seca que tem atingido diversos municípios brasileiros, especialmente nas regiões Sul e Nordeste”. De acordo com o ministério, estes problemas têm sido agravados “pelas dificuldades de comercialização resultantes das medidas de distanciamento social adotadas para mitigar os impactos da pandemia provocada pela Covid-19”.

Aval para Copel
A Copel recebeu aval do órgão brasileiro de defesa da concorrência para a aquisição de fatia de 49% em uma empresa que detém ativos de geração distribuída de energia solar. A transação foi autorizada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica. O negócio foi fechado junto à Intertechne Participações e envolve seis ativos de geração distribuída solar ainda não operacionais em Bandeirantes, com capacidade total de 4 megawatts, segundo parecer do Cade. A aquisição da estatal paranaense vem em meio a um forte crescimento dos investimentos em geração solar distribuída no Brasil.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

250 milhões de toneladas
A Conab prevê uma colheita de 251,8 milhões de toneladas de grãos na safra 2019/2020. Segundo a entidade, os resultados demonstram normalidade nas atividades dos agricultores, e que eles vêm adotando as recomendações das instituições envolvidas no combate à Covid-19. “A pandemia enfrentada pelo mundo não afetou o andamento da safra brasileira”, informou a Conab ao divulgar que o “volume recorde deve ser registrado em uma área cultivada de 65,1 milhões de hectares”. Houve um aumento na proporção de 4%, ou de 9,7 milhões de toneladas, em relação à safra anterior, de 2018/19, que estava em 242 milhões de toneladas.

IBGE estima alta
A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar o ano em 245,2 milhões de toneladas, ou seja, uma alta de 1,5% em relação ao ano anterior, informou o IBGE. A estimativa feita em março, apesar de ainda estimar uma alta na safra, é inferior à previsão feita em fevereiro. A estimativa, em fevereiro, era fechar o ano com 249 milhões de toneladas ou 3,1% acima da safra de 2019. A nova previsão leva em consideração uma safra menor para a soja, maior lavoura de grãos do país. Se em fevereiro a expectativa era fechar 2020 com uma produção de soja 10,4% maior, em março, o IBGE reviu a previsão de crescimento para 6,4%. Para o arroz e o milho, no entanto, a estimativa está mais otimista. A safra de arroz deve crescer 3,6% neste ano, acima do 1% previsto em fevereiro. O milho deve ter uma queda de 3,5% para o milho, abaixo do recuo de 4% previsto em fevereiro.

Custos da construção
O Índice Nacional da Construção Civil, divulgado pelo IBGE, cresceu 0,35% em março, uma elevação de 0,10 ponto percentual (p.p.) em relação a fevereiro (0,25%). A alta foi influenciada principalmente pelos aumentos de salários na Bahia, Estado de terceiro maior peso na taxa nacional, e no Amapá. parcela dos materiais variou 0,20%, uma queda tanto em relação ao mês anterior, quando apresentou 0,53%, como em relação a março de 2019 (0,79%). Já a parcela da mão de obra, devido aos dois acordos coletivos, variou 0,51%, alta de 0,57 p.p. em relação a taxa de fevereiro (-0,06%). Em comparação com março de 2019 (0,23%), a parcela de mão de obra cresceu 0,28 p.p. Em termos nacionais, o custo médio da construção em março, por metro quadrado, foi de R$ 1.169,15, sendo R$ 613,81 relativos aos materiais e R$ 555,34 à mão de obra. O acumulado do terceiro trimestre ficou em 0,90%.

Aumento no atendimento
O Sebrae/PR registrou um aumento de 321% no número de atendimentos realizados por meios digitais nas duas últimas semanas, período em que a entidade suspendeu as atividades presenciais por conta da pandemia do novo coronavírus. Apenas por meio do WhatsApp, Facebook e chat on-line através do portal, foram realizados 3.463 atendimentos. Desde o dia 23 de março, o Sebrae/PR está realizando uma força-tarefa que conta com a mobilização de todos os seus colaboradores para a realização de um atendimento 100% remoto, inclusive com a realização de consultorias por meio de videochamadas. Os temas mais procurados pelos clientes foram crédito, finanças e vendas on-line, com foco na tomada de decisões efetivas para o momento. Além dos canais de atendimento, o Sebrae/PR também tem registrado o aumento no número de acessos às principais plataformas de conteúdos da entidade.

Exportações de café
O Brasil exportou em março deste ano 3,1 milhões de sacas de café, considerando a soma de café verde, solúvel e torrado e moído, mantendo o patamar do volume exportado em março de 2019. A receita cambial gerada no mês com as exportações foi de US$ 423,72 milhões, aumento de 6,1% em relação a março de 2019. Já o preço médio da saca foi de US$ 135,72, alta de 6% na mesma comparação. Os dados são do relatório compilado pelo Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). O café conilon (robusta) apresentou um aumento nas exportações, de 30,2% em relação a março de 2019, com 248,5 mil sacas exportadas (8% da participação das exportações por variedade). Já o café arábica representou 82,2% do volume total de café exportado no mês, com 2,6 milhões de sacas embarcadas, enquanto o café solúvel representou 9,8% dos embarques, com a exportação de 306 mil sacas.}

Egito habilita 42 plantas
Egito habilitou 42 novos estabelecimentos brasileiros a exportarem carne ao seu mercado. Entre eles, 15 frigoríficos de carne bovina e outros 27 de aves já podem iniciar suas vendas para o país árabe após autorização feita pela Organização Geral de Serviços Veterinários do Egito, no dia 31 de março. O adido agrícola da embaixada do Brasil no Cairo, Cesar Simas Teles, informou que o país árabe renovou, ainda, as habilitações de 95 exportadores que já participam desse mercado, sendo 82 abatedouros de gado bovino. Segundo Teles, a negociação para as novas habilitações envolveu a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais e a Secretaria de Defesa Agropecuária, ambas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a embaixada do Brasil no Egito e as autoridades sanitárias egípcias.

Fluxo nas estradas
O fluxo total de veículos pelas praças de pedágio nas estradas recuou 18,4% em março, na comparação com fevereiro, já descontados os efeitos sazonais, informaram a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e Tendências Consultoria Integrada. O indicador contempla o efeito de apenas dez dias de quarentena pela Covid-19. A queda é maior que a vista na greve dos caminhoneiros em maio de 2018 e a maior desde a criação do índice em 1999. Mantida a comparação mensal dessazonalizada, o índice de fluxo de veículos leves apresentou queda de 22,7% e o de pesados recuou 4,1%. Além dos dados de março contemplarem apenas parcialmente as consequências da pandemia do coronavírus, o impacto no setor ainda foi amenizado pelo fato de que parte dos caminhões estava em viagens longas ou cumprindo transportes previamente programados.



Redação ADI-PR Curitiba
Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

TOPO