Editorial

Compre um urso de pelúcia

O município de Marechal Cândido Rondon se tornou referência nos últimos anos pela atuação da ONG Arca de Noé nos cuidados e proteção a animais soltos e maltratados. Desde sua criação, quase seis mil castrações foram realizadas, além de incontáveis resgates, tratamentos e encaminhamentos desses pets para adoção. Neste ano, no entanto, os números de resgates saltaram mais de 40% em relação ao ano passado. Uma verdadeira epidemia de deslealdade se instalou no município. Com a atuação da ONG, muitas pessoas, inclusive de cidades vizinhas, sentem-se confortáveis para abandonar os animais nas ruas.

Abandonar os animais, especialmente cachorros e cadelas, mostra um lado frio e insensível das pessoas, demonstra a total falta de respeito pela vida e ignora o sofrimento que esses animais passam quando começam a perambular de um lado a outro, fuçando em lixeiras, sendo enxotados, só esperando a morte um dia chegar. Pessoas assim definitivamente não são confiáveis. Vale ressaltar que abandonar ou maltratar animais é crime, com possibilidade de prisão e multa. O cidadão que for pego em flagrante cometendo essas insanidades terá um longo caminho de explicações a serem dadas à Justiça.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Cachorros não são ursinhos de pelúcia. Não dá para trocar, devolver ou se livrar deles quando não parecem ser tão convenientes. Esses animais vivem dez, 15, até 20 anos. Nesse tempo, fazem cocô e xixi, fuçam, rasgam, quebram, ficam doentes, sofrem acidentes, exigem muitos cuidados, que incluem custos financeiros, como medicação, ração, banho, vacina, castração. Animais podem ficar cegos, ter problemas respiratórios, ter câncer. E você terá a obrigação de cuidar deles nesses piores momentos. Portanto, ao adotar ou comprar um animal, as pessoas precisam ter em mente todas essas questões e estarem cientes de que um novo membro da família está chegando.

Quando pequeninos, os filhotes encantam. Papais loucos para fazer a vontade dos filhos, compram, adotam, sem a noção clara de tudo o que envolve a vida de um pet. O resultado: quando ficam mais velhos, doentes ou as cadelas ficam prenhas, a rua ganha novos moradores. Além de ser crime, ao abandonar os animais, papais e mamães estão dando péssimos exemplos aos seus filhos, ensinando a eles a superficialidade do descarte como solução para os problemas da vida.

É preciso olhar com a devida atenção para os maus-tratos e abandono de animais. O problema é sério, vultuoso e precisa ser tratado com responsabilidade por todas as pessoas. A começar pela vigilância e denúncia. Essas práticas precisam ser coibidas, e somente quando a primeira pessoa for rigorosamente punida (e sua punição divulgada) é que essa lamentável realidade pode começar a mudar.

Ter um amigão em casa é gratificante. Eles são amáveis, leais (ao contrário de muitos tutores) e estão contigo faça chuva, faça sol, na alegria e até na miséria. No entanto, é preciso responsabilidade para ter um animal, seja um cão, um gato, um pássaro. Antes de se decidir, tenha certeza que você dará todas as condições que eles precisam para ter uma vida boa. Caso contrário, compre um urso de pelúcia.

 

TOPO