Copagril
Arno Kunzler

Conclusões…

O Brasil sem o PT não tem oposição. Vivemos com o PT no governo completamente sem oposição. Tanto que o governo perdeu completamente a noção.

Por outro lado, percebemos que com o PT no governo não tem governo. Ironia do destino, o PT voltou para o lugar onde nunca deveria ter saído: ser oposição ao governo, ou aos governos.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Vamos ver se os 14 anos de governo do PT ensinaram os adversários, que sempre foram adversários do PT, mesmo dentro do governo, aprenderam o que não se deve fazer, no governo.

Se o PSDB, que nunca soube fazer oposição, o PMDB, que nunca soube fazer oposição, agora conseguem ser pelo menos governo.

É difícil acreditar que com esses políticos seja possível mudar os rumos de um governo, mas a esperança não pode morrer antes da hora.

Tendo o PT fazendo oposição, talvez os governantes tenham mais cuidado do que tiveram os dirigentes que os antecederam.

Tendo aprendido o que aprenderam com o PT no governo, é possível que os atuais dirigentes não façam tantas trapalhadas e tenham um mínimo de senso crítico, especialmente no essencial, no ponto mais delicado, que é a honestidade.

Ao mesmo tempo que surgem novas acusações contra novos políticos do novo governo, surgem novas acusações contra atitudes do velho governo.

Vivemos hoje três cenários possíveis.

O menos provável, eleições gerais imediatamente. Seria catastrófico promover eleições gerais num ambiente tão complexo, onde ninguém sabe quem fala a verdade por completo.

O possível, mas não provável, retorno de Dilma ao governo. Seria muito ruim, pois a presidente não tem apoio nem do Congresso e muito menos do povo brasileiro.

O cenário provável é que o atual governo se torne efetivo e promova eleições num tempo normal estabelecido pelas regras eleitorais. Não que seja o ideal, mas talvez seja o menos traumático para o Brasil que não vive às custas do Poder Público.

Aqueles que precisam tocar suas empresas e aqueles que dependem dos empregos da iniciativa privada querem um governo que não deixe essa folia política destruir a economia.

Para resolver o problema político e ao mesmo tempo promover o crescimento econômico, precisamos GOVERNO JÁ.

Se não é o cenário ideal, é o menos traumático, precisamos de duas coisas.

Primeiro, ter governo e, segundo, ter oposição.

Num regime democrático, não ter oposição como aconteceu com o governo do PT é o mesmo que viver num regime ditatorial.

Quando o próprio governo é capaz de tudo para impedir a alternância do poder é porque não há democracia.

Isso ficou muito claro no Brasil e em outros países da América Latina.

A tentativa de acabar com a oposição, ora atraindo seus líderes com oferta de cargos, ora comprando seu apoio com oferta em dinheiro desviado das grandes obras, ora simplesmente desqualificando os opositores ao governo, sejam pessoas ou instituições críticas, é um grande desserviço, tanto para a democracia como para a economia.

A América do Sul, onde prosperou esse populismo imbecil, viu suas estruturas políticas ruir e sua economia encolher.

E isso não é por acaso, isso é obra dos governos.

 

Jornalista e diretor do Jornal O Presente

arno@opresente.com.br

TOPO