TokLar Estofados
Isai Marcelo Hort

Concorrente ou parceiro financeiro?

“… porque têm melhor paga do seu trabalho”. Ec. 4:9

 

Casais inteligentes somam suas finanças, ao invés de fazerem uma briga com os números.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Alguns se casam, mas seguem calculando como solteiros. Dividem as contas bancárias e os cartões de crédito, como se fossem estranhos. Existe intimidade na cama, mas não nas contas bancárias. Vivem debaixo do mesmo teto, porém com objetivos e planos distintos.

A Bíblia diz que uma dupla ganha mais. O pagamento do trabalho nem sempre é feito em dinheiro. Considerar o dinheiro como única recompensa de um trabalho é um pensamento muito estreito e capitalista.

Minha esposa Aline não trabalha fora, mas isso não significa que o trabalho dela não tenha recompensa para nós. Somos uma dupla do amor e posso lhe garantir que ambos nos beneficiamos do trabalho dela. O ganho da minha esposa não pode ser calculado matematicamente, mas pode ser somado com o coração. Com ela trabalhando em casa, temos o privilégio de nossas filhas serem educadas pela própria mãe e não por uma pessoa desconhecida.

Ela acorda cedo, prepara as meninas para a escola. Com um beijo e um abraço nossas filhas se despedem para a escola, assim um “depósito” já é feito na conta do coração.  Às 11h40 ambas chegam famintas da escola, o aroma do almoço as atrai para a cozinha. O cheiro é da comida que a própria mãe preparou, com amor para a família. Sempre almoçamos juntos e desfrutamos do trabalho feito pela mãe e esposa. É um ambiente maravilhoso. Com tantas meninas à mesa, acaba sendo difícil achar uma oportunidade de todos falarem.

O “clima” é tão gostoso que ninguém de nós trocaria nossa mesa pela do restaurante. Este ambiente de amor durante o almoço é mais uma recompensa pelo trabalho de minha esposa. Com certeza, a dupla do amor ganha bem. Seria possível citar muitas outras recompensas desta “parceria”.

Se uma mulher trabalha fora ou em casa, o ganho é sempre dobrado. Se ela escolher dedicar seu tempo aos cuidados do seu próprio lar, a recompensa será um “deposito” feito diretamente no lar.

Permita-me ainda dedicar uma palavrinha aos homens. Se é você quem trabalha fora, então o “pagamento” do seu trabalho deve edificar o seu matrimônio. Infelizmente existem homens que separam secretamente uma parte do salário para suas farras e festas. Gastam com prostitutas, ao invés de investir na esposa, que cuida de sua casa e lava as suas roupas!

Independente se é o homem ou a mulher que ganha o dinheiro, ambos devem entender que as finanças são para as necessidades do casal. Jamais diga que este é “seu” dinheiro, pois ele pertence à união matrimonial.

Ao lidar com o dinheiro, o sentimento deve ser de parceria.

TOPO