Editorial

Conectando…

 

A conectividade faz parte da rotina das pessoas e está cada vez mais relevante para as relações interpessoais, sejam elas de trabalho, sociais ou de entretenimento. Estar conectado, 24 horas por dia, parece uma tendência irreversível. Na região Oeste do Paraná, a Itaipu e o Conselho de Desenvolvimentos dos Municípios Lindeiros estão avançando em um projeto que pretende difundir o acesso à internet nas ruas das cidades. Em muitas delas já estão instaladas as árvores digitais, estruturas de aspecto até um pouco esquisito, mas que têm o objetivo nobre de popularizar o acesso à rede mundial de computadores e facilitar a vida das pessoas.

Até agora foram inauguradas árvores digitais em Santa Terezinha de Itaipu, Missal, Santa Helena e Pato Bragado. Nesta quinta-feira (17) será a vez dos municípios de Mercedes, Terra Roxa e Guaíra inaugurarem as suas. Marechal Cândido Rondon e outras cidades também já vivem a experiência do projeto, mesmo que, ainda, não tenham feita uma inauguração formal. No município rondonense, a árvore digital foi instalada no Lago Municipal.

O projeto de inclusão digital e de cidadania já alcançou 170 mil acessos, mas esse número deve ser cada vez maior à medida em que o projeto ganha popularidade entre os cidadãos. Instaladas em locais com grande fluxo de pessoas, as árvores são alimentadas por energia solar. Além das 100 conexões sem fim simultâneas, por meio de wi-fi, uma árvore ainda gera energia que carrega os celulares ou outros eletrônicos em 16 conectores.

Seria interessante que essa ideia fosse colocada em prática, além dos 16 municípios lindeiros ao Lago de Itaipu, em muitas outras cidades Oeste afora. A praça central ou até mesmo a região do centro comercial poderiam ganhar tais equipamentos. Mais que oferecer internet gratuita, o projeto poderia agilizar a vida das pessoas. As administrações municipais também podem se beneficiar disso, enviando mensagens diversas para os e-mails dos cadastrados. Poderiam avisar, por exemplo, quando é a hora de pagar o IPTU ou mesmo campanhas como de controle e combate à dengue. É uma interação justa, salutar e saudável.

A conectividade que hoje move as pessoas deixa as empresas e residências para ganhar as ruas, mesmo que o alcance ainda não seja massificado. É uma novidade que merece aplausos e, tecnicamente, custa pouco pelo que elas podem ajudar a produzir. A Itaipu mais uma vez promove projetos que ajudam a desenvolver a região a qual está encravada, auxiliando com medidas de interesse social geral. Trata-se, além uma geradora de energia, de uma instituição amiga das pessoas.

A conectividade move as pessoas no mundo moderno. Ela tornou-se praticamente (se não) indispensável para que as pessoas tenham relações sociais e de trabalho. Dar às pessoas a possibilidade de naquela hora em que o sinal da operadora está fraco ou que não há mais crédito para os dados móveis, é uma maneira simples e barata de auxiliar as pessoas em tarefas simples no dia a dia, mas que podem evitar transtornos, gastos, etc. Que mais dessas árvores possam ser instaladas na região e ajudem a popularizar, cada vez mais, essa nova maneira que a humanidade encontrou de interagir com o mundo.

TOPO