Copagril
Pastor Mário Hort

Cuidados humanos e divinos para proteger o seu matrimônio

 

6ª parte: “Cuide das portas e lanelas de seu matrimônio II”

 

A “casinha” matrimonial é invisível e está escondida nos corações do casal, mas, na verdade, essa união representa as “Torres Gêmeas da vida humana”. O matrimônio é um gigante como as torres do World Trade Center, que está sendo destruído por gente com preparação acadêmica, que perdeu o “norte” da vida. Esse pessoal condena a quem mata uma raposa, mas promove o terrorismo contra a vida familiar de pai, mãe e filhos, querendo até eliminar a palavra pai e mãe. Isso é ignorância acadêmica de Sodoma. E não precisa de chuva de fogo e enxofre para destruir essa filosofia, ela é autodestruitiva. (Gen. 19)

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

 

Humanamente é impossível cuidar de seu casamento

Como a esposa pode cuidar da “casinha” de seu matrimônio, se um piscar de olhos de uma mulher estranha pode fazer “balançar” a alma de qualquer homem, dependendo do seu estado “emocional”?

Como o marido pode cuidar de sua esposa, sendo que o melhor amigo é capaz de roubar a esposa de seus braços?

 

Há três atitudes humanas para cuidar de seu matrimônio:

1ª Ofenda a quem lhe assedia!

Não trate o malfeitor com: “Ah, não faça isso”! “Ai, não me toque”… Responda no mínimo com um olhar rancoroso e de ameaça nos seus olhos.

Uma jovem foi assediada num ônibus e ao desembarcar foi chorar amargamente nos toaletes da parada do ônibus, porque o assédio foi terrível para sua alma jovem. A moça nos escreveu uma carta anônima, pois caiu em depressão, chegando quase à loucura.

O assédio sexual é bandidismo que rouba a alma de pessoas inocentes. Pais assediam suas filhas e estas chegam ao aconselhamento chorando, enfermas e feridas na alma pelo próprio pai, tio, padrasto…

 

2ª Denuncie o assédio!

Comunique o assédio aos seus pais ou ao cônjuge. Isso é cuidar do seu matrimônio até a velhice. Uma senhora idosa disse-me apavorada: “Voltei do encontro da terceira idade e tive que ameaçar um homem idoso com um…, por assédio em minha própria casa”.

Uma jovem disse: “Meu pai me ‘usa’ há cinco anos”. A pedofilia é combatida mundialmente, mas acontece nas famílias de todos os níveis sociais e religiosos. Poucas vítimas conseguem denunciar as pessoas “nobres” da sociedade por sentimentos de vergonha e pela humilhação. Senhoras, jovens, rapazes, meninas, homens: “denunciem os assédios”, porém jamais digam falsos testemunhos! Jamais interpretem mal! Jamais denunciem mentindo!

9º mandamento: “Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Gen. 20:16)

A denúncia falsa, na verdade, é crime hediondo, porque pode levar uma pessoa inocente à prisão por um crime que não cometeu. Isso seria terrorismo inescrupuloso.

Não seja “carinhoso” com uma pessoa que tenta aterrorizar seu casamento com assédios. Defenda as portas e janelas do seu casamento. Não tenha amizade com os “terroristas” de sua alma, mesmo que seja alguém muito achegado.

 

3ª Cuide de seu matrimônio dizendo: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor”

Realizei a cerimônia nupcial de dois jovens que não tinham firmes princípios de fé. O tema foi: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor a partir de hoje”.

Enquanto eu falava olhei firme nos olhos dos jovens e percebi quando o noivo me respondeu com seu olhar como quem dizia: “A partir de hoje eu e minha casa serviremos ao Senhor”. Esse foi um momento inesquecível que eu vivi celebrando aquele casamento. E sempre é um momento de felicidade quando encontro o casal no templo, vendo a continuidade da decisão que foi confirmada num simples sinal dos olhos do noivo diante de Deus no dia de suas núpcias.

Convide seu cônjuge para unidos proclamar com Josué: “Nós e nossa casa, a partir de hoje, serviremos ao Senhor”. (Jos. 24:15)

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

 

TOPO