Copagril
Pastor Mário Hort

Deus derramou latas de tinta? – 2ª parte

Os holandeses dizem: “Admirar um campo de tulipas é encontrar o lugar onde Deus derramou suas latas de tinta”!

Após um cochilo, acordei com esse pensamento que eu tinha digitado antes de adormecer brevemente. Ao despertar do sono parecia que meus olhos espirituais viam as “latas de tintas” derramadas por Deus na vida de pessoas que aceitaram o projeto Dele para suas vidas. Você já teve a sensação de que a primavera de Deus tivesse começado em sua vida, após longo tempo de frio? É possível que isso esteja acontecendo agora em sua alma!

Casa do Eletricista SORTEIO DE VERÃO

 

Lata de tinta de Deus derramada no Irã

Não só na Holanda Deus derrama suas “latas de tinta”. Enquanto eu escrevia recebi a mensagem de David Kamos, que dizia: “Encontrei a liberdade em Cristo e não mais a perdi. Nunca mais senti falta dela. Meu coração pertence a Deus”. Como arquiteto no Irã, David teve ótimo emprego no seu país, mas perdeu tudo ao encontrar o “projeto de Deus” para a vida eterna de sua alma.

No dia em que o iraniano me visitou no apartamento pastoral, na Holanda, ele chorou de saudades da esposa, a mulher que o expulsou de casa e não conseguiu pronunciar o nome da esposa e os nomes de seus filhos, no momento da oração. Mas o “projeto de Deus” que ele encontrou em Jesus lhe fez escrever, alguns dias após o momento de oração: “Meu coração pertence a Deus”.

Um jovem iraniano sentou-se diante de mim, no culto da igreja de Brunssum, Holanda. Ao finalizar o culto, o cumprimentei. Seu nome é Ali e ele tem 27 anos de idade. Perguntei-lhe: “Como se vive o cristianismo no Irã?”.

Com um olhar triste o jovem imediatamente contou sua história: “Em meu país havia uma ação evangelística em uma residência familiar, pois é proibido fazer ações cristãs públicas. Eu fui convidado a assistir aos ensinamentos sobre Jesus. O que mais me impressionou foi que Jesus deu sua vida para nos salvar. É possível que alguém possa dar um bem ou valores importantes a outras pessoas, mas a própria vida ninguém dá”, afirmou. “Foi essa a verdade que mais me atraiu para o evangelho de Jesus. Durante vários meses de estudos eu conheci os ensinamentos de cristãos e então me converti para o cristianismo”, declarou.

Questionei: “Ali, como reagiram seu pais, ao saber que você passou do islamismo ao cristianismo pela conversão?”.

“Logo chegou a polícia, confiscou meu laptop e eu fui preso por três meses. Meus pais entregaram uma casa em troca de minha libertação do presídio, porém a polícia não quer as nossas casas, mas desejava saber onde eu estava e perseguiu minha família, que precisou mudar de residência por várias vezes. Por essa razão vim para a Holanda”, concluiu.

“Ali, você sofreu perseguição, perdeu a casa e seus pais, isso é projeto de Deus?”.

Seu rosto demonstrava solidão e saudade, mas ele respondeu sorrindo para a foto e disse: “A liberdade do corpo é uma questão física. Não existe verdadeira liberdade corporal porque estamos limitados à vida terrena. Aqui ninguém pode estar livre de alguma dificuldade, apenas em nossa alma pode existir a liberdade de espírito. Foi isso que Jesus me trouxe, apesar de todas as circunstâncias”, declarou.

O jovem Ali, do Irã, revelou um projeto de Deus que a perseguição religiosa não conseguiu lhe roubar. Se a nossa felicidade depende de prosperidade e triunfos não temos um evangelho que valerá para todos os tempos.

Eu percebi “as latas de tinta de Deus” derramadas na alma do jovem iraniano pela fé em Jesus Cristo, apesar dos pesares de sua vida.

 

TOPO