Pref. MCR Novembro Azul.
Dom João Carlos Seneme

Eis que estou convosco todos os dias

Neste domingo celebramos a Ascensão de Jesus, hora de sua partida e retorno ao Pai que o enviou para realizar a salvação da humanidade. Sua missão foi cumprida até as últimas consequências: “Ele tinha condição divina, mas esvaziou-se a si mesmo, e assumiu a condição de servo, humilhou-se e foi obediente até a morte e morte de cruz. Por isso Deus o elevou grandemente. Jesus Cristo é o Senhor para a glória de Deus Pai (2Ef 2,6-11).

Jesus havia pedido que os seus apóstolos o encontrassem na Galileia. Foi onde tudo começou: ali iniciou o anúncio da conversão e o evangelho do Reino. Neste ambiente de pescadores, gente simples e trabalhadora, Ele iniciou o chamado dos seus discípulos: “Vinde e vede. Eu farei de vós pescadores de homens”. O momento é de recomeço, por isso o retorno ao lugar onde tudo teve início. Agora Jesus é o Senhor e convoca seus discípulos para dar-lhes a plenitude: o Ressuscitado é a luz decisiva que ilumina todos os que caminham nas trevas e nas sombras da morte: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12).

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Ele convocou os onze discípulos em uma montanha, como no início os conduziu até lá para lhes anunciar o caminho da felicidade do reino dos céus (cf. Mt 5,1). Da mesma forma como Deus convocou o povo de Israel ao pé do Monte Sinai para fazer deles a sua Igreja: “Vós sereis o meu povo e eu serei o vosso Deus”. Hoje é o Ressuscitado que se encontra na montanha, que simboliza o encontro entre o céu e a terra, declarando-se o Senhor e convocando os discípulos, o novo povo de Deus, para ir e anunciar a todos os povos o evangelho da salvação.

A partir desta montanha, Ele envia os discípulos – e neles, e com eles, todos nós que o seguimos ao longo da história – para constituir a Igreja e enviá-la em missão para reunir todos os cantos da terra. Ninguém está excluído desta missão e participação na família de Deus. Jesus confia aos seus discípulos o Batismo com a finalidade de gerar a Igreja. Jesus ascende à direita do Pai e os apóstolos partem para pregar o Evangelho em todo o mundo. Esta palavra é dirigida a todos hoje. Nós somos a Igreja com o mandato de anunciar, encantar as pessoas para reconhecerem em Jesus o sentido de suas vidas e transformar o nosso mundo num lugar onde todos sejam respeitados e se tornem responsáveis. A Igreja é sinal e lugar de salvação para todos.

A Ascensão não é a partida de Jesus deste mundo. Ela é a festa de sua permanência no meio de nós: “Eis que estarei convosco todos os dias”. Ele é a cabeça do seu corpo que é a Igreja. Na “casa do pão”, a comunidade cristã celebra a Eucaristia, sacramento de comunhão e reconciliação, encontro de Deus com a comunidade, da comunidade com Deus e dos membros da comunidade entre si. Deste encontro nasce o compromisso de viver a unidade. Somos chamados e enviados em missão para ser sinal desta experiência de unidade, para manifestá-la em nossa vida e para ser suas testemunhas perante o mundo. É pela fé que vemos e encontramos o Senhor, em meio às vicissitudes da história. Pela fé a elevação de Jesus Cristo não é sentida como ausência, mas como certeza de que Ele está no meio de nós.

Rezemos por aqueles que se sentem abandonados e cansados no cumprimento da sua vocação cristã: que eles possam recuperar a esperança que vem do chamado e renovemo desejo de responder com fidelidade a Jesus. Rezemos também por cada um de nós: que nesta semana que antecede a celebração de Pentecostes, preparemos nossos corações e mentes para a renovação que a presença do Espírito Santo nos trará.

TOPO