Dom João Carlos Seneme

Escutar somente Jesus, o filho escolhido

 

Os textos bíblicos deste 2º Domingo da Quaresma reforçam a aliança de Deus com a humanidade. Deus se revela a Abraão e estabelece um pacto para sempre: Ele se une à história de Abraão e à de toda humanidade sem arrependimento. Ele faz um juramento solene e estará presente em todos os acontecimentos do seu povo. Não exige nada, é pura gratuidade, puro amor.

No evangelho acompanhamos a transfiguração de Jesus. A transformação luminosa de Jesus diante de seus discípulos, no caminho de Jerusalém, onde acontecerá sua paixão, reforça o plano salvador de Deus já manifestado a Abraão. Jesus faz a leitura de sua obediência a Deus para levar adiante o plano de salvação para a humanidade. Jesus não podia deixar que seus discípulos se iludissem com a visão do Messias poderoso e glorioso. Jesus revela que sua glorificação passará pelo sacrifício na cruz.

Lá na planície há sinais de rejeição a suas palavras, os discípulos começam a sentir medo. Jesus também se fortalece através da oração estando perto do Pai. Moisés e Elias, representantes qualificados do Antigo Testamento, conversam com Jesus e reafirmam que agora é Jesus quem revela Deus e seu reino. O Pai confirma a missão de Jesus: “Este é o meu Filho, o escolhido. Escutai o que ele diz”. Os discípulos não compreendem tudo o que acontece, somente sentem que é um momento de paz: “Mestre, é bom estarmos aqui. Vamos fazer três tendas”.

O relato da transfiguração é colocado no período da Quaresma para mostrar a necessidade da busca de Deus através da contemplação e oração. É só assim que será possível enfrentar os desafios da vida cristã no dia a dia. A experiência de Deus na oração sustentará a missão dos discípulos de anunciar a todos a paixão, morte e ressurreição de Jesus e suscitar o seguimento. Também nós devemos aprender com o evangelho: devemos subir ao monte da transfiguração para, depois, descer à planície trazendo luz para iluminar a vida. É fundamentar ouvir a voz de Jesus.

Na Transfiguração é revelada a verdadeira identidade de Jesus: Ele é o Filho de Deus. Neste evento, Deus nos revela o seu plano de salvação que está sendo realizado por Jesus. A mensagem de vida e liberdade da Boa Nova são reais e possíveis. Jesus mostra também que todo ser humano é vocacionado a viver esta vida de plenitude que se realiza no seguimento de Jesus e na vida colocada a serviço de todos como dom, cuidado e libertação. Mas mostra também que tudo exige sacrifício, esforço e muita criatividade para fazer com que sua mensagem chegue a todos os povos.

“Fraternidade e Políticas Públicas”. “Serás libertado pelo direito e pela justiça (Is 1,27). O cartaz da Campanha da Fraternidade 2019 visa a ser a imagem que norteará o desejo da Igreja do Brasil de ajudar a sociedade a refletir sobre importância das políticas públicas, como meio de assegurar as condições mais elementares para construção e manutenção da sociedade, de modo que as pessoas possam viver dignamente nas suas várias realidades. “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância”.

 

Dom João Carlos Seneme é bispo da Diocese de Toledo

revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO