Copagril
Dom João Carlos Seneme

Eu sou o bom pastor e dou a vida por minhas ovelhas

 

Estamos no 4º Domingo da Páscoa, “Domingo do Bom Pastor”. O tema deste domingo (11) reflete as leituras e as orações que nos levam a contemplar Jesus como o Bom Pastor, aquele que dá a sua vida pelas ovelhas.

Cristo é o modelo do verdadeiro pastor que ama de forma gratuita e desinteressada as suas ovelhas até as últimas consequências. As ovelhas sabem que podem confiar Nele de forma incondicional, pois Ele não busca o próprio bem, mas o bem do seu rebanho. Para pertencer ao rebanho de Jesus é preciso estar disponível e atento para ouvir sua voz e segui-lo no caminho do amor e da entrega.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Neste mesmo dia a Igreja instituiu o Dia Mundial de Oração pelas Vocações. Este ano o papa Francisco, na sua mensagem, ressalta a “a coragem de arriscar a promessa de Deus”. O Sínodo dos jovens e a Jornada Mundial da Juventude, dois grandes eventos que permitiram à Igreja prestar ouvidos à voz do Espírito e também à vida dos jovens, a suas perguntas, ao cansaço que os sobrecarrega e às esperanças que carregam.

O Senhor nos chama e nos torna portadores de uma promessa. Ele nos pede a coragem de arriscar com Ele e por Ele. A promessa e o risco aparecem fortemente na cena evangélica da vocação dos primeiros discípulos junto do lago da Galileia (cf. Mc 1,16-20).

Para aceitar a chamada do Senhor é preciso se deixar envolver totalmente e correr o risco de enfrentar um desafio inédito. Ele nos pede a audácia que nos impele com força a descobrir o projeto que Deus tem para a nossa vida. Deus chama porque nos ama; para ser feliz é preciso aceitar e arriscar. Não podemos ficar presos admirando as redes no barco que nos dão segurança, mas devemos confiar na promessa do Senhor que nos diz “Vinde e vende”.

O texto do evangelho acentua que a comunhão e a doação de si enriquecem a vida cristã. Jesus entra em comunhão com o seu rebanho e se doa voluntariamente pela salvação de todos. O amor que une Pai e Filho sustenta o ato de Jesus de dar a sua vida para que todos tenham vida em abundância e possam chegar à vida eterna. Tudo o que Jesus faz encontra sua fonte na sua união com o Pai. Ele quer que participemos deste amor e por isso oferece sua vida por nós. Em Jesus, o Bom Pastor, somos definitivamente salvos.

Da nossa parte cabe acolher este gesto de amor e fazer de nossa vida uma contínua oferta para que outros possam conhecer que também foram salvos por Jesus.

Por isso, o evangelho ressalta a estreita relação entre Jesus, pastor, e suas ovelhas. Neste contexto, ele nos ajuda a entender quem pertence ao seu rebanho. Certamente, não fazem parte dele aqueles que o levaram à morte, pois esses não escutaram a sua voz, rejeitaram a sua palavra e sua obra.

Que a Palavra nos estimule a ouvir com atenção e dedicação a voz de nosso Pastor e crie um espaço em suas vidas para viver a experiência do amor gratuito e desinteressado e ir ao encontro de quem precisa de nós.

Rezemos pela fidelidade de todos os consagrados de nossa diocese: bispo, padres, diáconos, seminaristas, religiosas e religiosos. Que o Senhor Ressuscitado estimule novas e santas vocações!

 

Dom João Carlos Seneme é bispo da Diocese de Toledo

revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO