Brincando na Praça 2019
Pastor Mário Hort

Existem cristãos convictos em Moscou? – 1ª parte

 

De repente estou em Moscou! Não é por milagre nem por acaso, mas de repente estou a poucos metros da KGB, o serviço secreto de inteligência da extinta União Soviética, e do Kremlin, o complexo fortificado no centro da Capital russa, em Moscou.

Não é milagre, porque é fruto de um diálogo que eu defini como singular e muito sério, com meu único coach, o guia definitivo pelo Espírito Santo.

Casa do Eletricista SORTEIO DE VERÃO

O início dos planejamentos desta viagem para Moscou aconteceu há mais de três meses em Curitiba, quando falei em oração: “Senhor, minha questão é muito séria, devo me despedir do ministério ou seguir? Posso finalizar minhas escritas ou qual é a sua ordem?”.

De repente surgiu em minha mente: “Moscou”!. “Não” – respondi imediatamente. Eu já havia tentado viajar para Moscou e já escrevi um tema com pesquisas em Moscou via internet, porque o visto para a Rússia não foi possível, e já tenho a pesquisa de Moscou.

Porém, sem poder impedir meus impulsos, fui ao computador e procurei por pacotes de viagens para Moscou.

Imediatamente encontrei o Hotel Matreska e as passagens aéreas com preço bem acessível.

Mas, então, tive uma lista de questões para meu coach divino: Senhor eu preciso: 1º receber um bem-vindo do colega do departamento de rádio da Rússia, 2º um bem-vindo de alguém de Moscou e 3º um bem-vindo de alguém da Alemanha, para participar do Congresso dos 125 anos de nossa igreja.

E tudo surgiu em poucas horas. Contudo, então veio o comunicado da morte cerebral de nosso genro Anderson de Quadros. Como eu poderia fazer entrevistas em um país no outro lado do mundo, enquanto a filha estava perdendo seu esposo?

A morte foi confirmada, o genro já estava sepultado e meu compromisso com a filha foi concluído. Como eu poderia abandonar as passagens compradas para viver na amargura do luto?

Em comum acordo com todos familiares, embarquei enlutado, mas com o propósito de fazer mais uma tentativa de pesquisas para a literatura e o rádio.

Agora, de repente, estou em Moscou. O coração ainda está sangrando e “sangrou” muito num momento de solidão durante os dias de viagem, mas finalmente cheguei até Moscou e posso iniciar a escrita do tema. Agora tudo depende de entrevistas com pessoas que podem me revelar sua “rebeldia” contra Deus ou as suas experiências que lhes deram a convicção para crer em Jesus Cristo.

E “de repente” posso perguntar: “Existem cristãos convictos aqui em Moscou?”.

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

TOPO