Ford Ranger e Ecosport AGOSTO1
Ford Ranger e Ecosport AGOSTO2
Casa, bem me quer casa

Galette de Banana da Terra com Chocolate

Ooiii!!

AFINIDADE

A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil, 
delicado e penetrante dos sentimentos. 
E o mais independente. 
Não importa o tempo, a ausência, os adiamentos, 
as distâncias, as impossibilidades. 
Quando há afinidade, qualquer reencontro 
retoma a relação, o diálogo, a conversa, o afeto 
no exato ponto em que foi interrompido. 

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Afinidade é não haver tempo mediando a vida. 
É uma vitória do adivinhado sobre o real. 
Do subjetivo para o objetivo. 
Do permanente sobre o passageiro. 
Do básico sobre o superficial. 

Ter afinidade é muito raro. 
Mas quando existe não precisa de códigos 
verbais para se manifestar. 
Existia antes do conhecimento, 
irradia durante e permanece depois que 
as pessoas deixaram de estar juntas. 
O que você tem dificuldade de expressar 
a um não afim, sai simples e claro diante 
de alguém com quem você tem afinidade. 

Afinidade é ficar longe pensando parecido a 
respeito dos mesmos fatos que impressionam comovem ou mobilizam. 
É ficar conversando sem trocar palavras. 
É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento…

Afinidade é sentir com. Nem sentir contra, 
nem sentir para, nem sentir por. 
Quanta gente ama loucamente, 
mas sente contra o ser amado. 
Quantos amam e sentem para o ser amado, 
não para eles próprios. 

Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo. 
É olhar e perceber. 
É mais calar do que falar, ou, quando falar, 
jamais explicar: apenas afirmar. 

Afinidade é jamais sentir por. 
Quem sente por, confunde afinidade com masoquismo. 
Mas quem sente com, avalia sem se contaminar. 
Compreende sem ocupar o lugar do outro. 
Aceita para poder questionar. 
Quem não tem afinidade, questiona por não aceitar. 

Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças. 
É conversar no silêncio, tanto das possibilidades exercidas, 
quanto das impossibilidades vividas. 

Afinidade é retomar a relação no ponto em que 
parou sem lamentar o tempo de separação. 
Porque tempo e separação nunca existiram. 
Foram apenas oportunidades dadas (tiradas) pela vida, 
para que a maturação comum pudesse se dar. 
E para que cada pessoa pudesse e possa ser, 
cada vez mais a expressão do outro sob a 
forma ampliada do eu individual aprimorado.

(Artur da Távola)


Galette de Banana da Terra com Chocolate


 

Ingredientes massa:

01 xícara de farinha de trigo peneirada
1/2 xícara de farinha de trigo integral peneirada
03 colheres de sopa de açúcar
2/3 xícara de manteiga sem sal gelada cortada em cubos
04 colheres de sopa de água gelada
01 pitada de sal

Em uma vasilha, junte todos os ingredientes secos e misture. Junte a manteiga e com as mãos forme uma farofa. Então junte a água gelada e trabalhe com as mãos até a massa virar uma bola. Se a massa ficar mole, junte mais farinha, mas aos poucos, para que tudo se integre e forme a bola. Não trabalhe muito a massa.
Envolva no filme de PVC ou no saco para alimentos e leve a geladeira por 30 minutos. Após o tempo de descanso da massa, preaqueça o forno 200 graus.

Ajeite um bom pedaço de papel manteiga na bancada e abra a massa com o rolo ou com as mãos, como for melhor, em cima do papel manteiga, para facilitar o fechamento das bordas, bem como, para transferir a galette depois de montada para a forma onde será assada. Eu prefiro abrir com as mãos. Abra de forma que fique arredondada, mas não se esqueça que a galette é rústica, então não pede um forma arredondada tão perfeita.

É uma massa fácil de trabalhar, amanteigada e quebradiça, sendo que os pedaços se unem facilmente. A cor acastanhada é por conta da farinha integral.

Recheio:

05 bananas da Terra maduras, cortadas em meia lua
Pedacinhos de chocolate ao leite
Mistura de açúcar com especiarias – (canela, noz moscada, cravo da índia em pó)
Raspas de casca de limão
Sementes erva doce (opcional)
Açúcar cristal para decorar
Pedacinhos de manteiga

Arrume as metades das bananas na massa aberta, deixando as bordas livres. Distribua os pedacinhos de chocolate por cima das bananas, incluindo os espaços entre as bananas. Rale um pouco de casca de limão por cima e em seguida, distribua um pouco da manteiga e açúcar. Então pulverize, mas não muito, o açúcar com especiarias por cima de todo o recheio.

Agora com o auxílio do papel manteiga, pois a massa é quebradiça, dobre as bordas para dentro da galette, com delicadeza.

A pulverize um pouco de açúcar cristal só por cima das bordas. Não pulverize em cima do recheio, pois já tem o açúcar com especiarias.
onde for assar. Eu usei uma forma de pizza.
Leve para o forno, na grade mais alta e abaixe a temperatura para 180º.
A galette deve assar lentamente para as bananas derreterem. Não sei quanto tempo ficou, porém, depois de meia hora, cuidei com atenção. Quando a massa estava assada eu liguei o grill para dar um leve dourado por cima. Nunca descuide do grill!

A galette está prontinha!
TOPO