Elio Migliorança

Inocência ou esperteza?

O sistema implantado no processo de redemocratização do Brasil começou bem, mas foi se deteriorando a tal ponto que estamos no topo do ranking dos países mais corruptos do mundo. Muitas decisões e mordomias aprovadas pelos três poderes na calada da noite, sem o conhecimento da população, que é quem paga a conta, foram criando um buraco nas contas públicas e só muitos anos depois descobrimos o volume de artimanhas dos espertos para engordar suas mordomias.

Há no momento um tema em debate ao qual foi dado destaque na edição do dia 31 de outubro último por este jornal, tratando do possível pagamento do 13º salário e adicional de férias aos vereadores brasileiros. É difícil de acreditar que os ministros do Supremo Tribunal Federal(STF) tenham tomado uma decisão absurda como esta,uma prova da contaminação política do STF e a prova de como as autoridades estão desconectadas da realidade emque vive o povo brasileiro, num país que fechará o ano comum déficit bilionário e com serviços públicos sucateados e sem perspectiva de melhoras em médio prazo.

Na citada reportagem, foram ouvidos os presidentes das Câmaras de Vereadores da microrregião e, entre algumas declarações muito sensatas e equilibradas, chamou a atenção a declaração do presidente da Câmara de Mercedes, cuja postura é de uma inocência angelical ímpar ou de uma esperteza marota apostando na safadeza legal.Afirmou o presidente que “devemos aprovar a lei neste mandato para que o benefício seja pago a partir da próxima legislatura”. Questionado se existe receio de haver receptividade negativa por parte da comunidade com o pagamento do 13º, ele foi enfático: “a Câmara trabalha com seu orçamento e todos os anos devolvemos uma boa quantia. Este ano dará em torno de R$150 a R$170 mil.Então vamos trabalhar com nosso orçamento”. Aí chegamos ao ponto. Pode ser legal, mas não é justo que seja repassado à Câmara 7% da receita do município. É muito dinheiro para gastar com vereadores, diante de tantas urgências que os municípios e sua população possuem.

Apesar do esforço para gastar tudo, ainda sobra um tanto para fazer uma propaganda enganosa, a famosa devolução dos recursos para o Executivo e ainda indicando onde o dinheiro deve ser aplicado. Para quem não sabe,antigamente o percentual de repasse às Câmaras de Vereadores era de 4% da receita, mas a politicagem acabou elevando o percentual e o resultado todos conhecemos pelos escândalos revelados Brasil afora.

E agora surge o outro questionamento: vereador ganhar 13º salário por quê? E alguns também cogitam 1/3 de adicional de férias. Seria cômico se não fosse trágico. Uma afronta, um tapa na cara de todos os trabalhadores que enfrentam oito ou mais horas de trabalho diário, e que com muito sacrifício pagam uma das maiores cargas tributárias do planeta para ver seu dinheiro engordar a conta bancária dos senhores vereadores com 13º salário e adicional deférias. Aí não precisamos ir a Brasília gritar fora corruptos,teremos a injustiça legalizada na porta da nossa casa, por pessoas da nossa comunidade, que, alheias ao sofrimento dos trabalhadores, assaltam de forma legalizada o patrimônio público.

Este é mais um desserviço prestado pelo STF ao povo brasileiro e que caiu no colo de sanguessugas, que, sob a desculpa da legalidade, vão consolidar uma imoralidade.

TOPO