Copagril
Dom João Carlos Seneme

Louvamos e bendizemos o Deus Uno e Trino por sua imensa misericórdia

Depois do Domingo de Pentecostes, celebramos a Solenidade da Santíssima Trindade. Deve brotar de nossos corações um sentimento de gratidão pelo cumprimento da salvação, mistério realizado pelo Pai, através do Filho, no Espírito Santo.

Em toda celebração eucarística iniciamos a ação litúrgica em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ela será concluída com a bênção do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Tudo o que durante a Santa Missa dissermos e fizermos é um diálogo entre nós e o Pai, feito por meio de Jesus Cristo, à luz e com a força do Espírito Santo. Depois da homilia, somos convidados a proclamarmos a nossa fé no Deus uno e trino: “Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso (…) e em um só Senhor, Jesus Cristo (…) e no Espírito Santo, Senhor que dá a vida e procede do Pai e do Filho”.

Casa do Eletricista CÂMERAS

O modelo da verdadeira comunidade é a família de Deus: Pai, Filho e Espírito Santo. Um único Deus em três pessoas, mistério de amor e comunhão. Cada um vivendo a própria identidade e manifestando um amor que não é fechado em si mesmo, mas que transborda e atinge toda a humanidade. Por isso, a comunidade cristã deve se espelhar nesta relação de respeito e convivência, em que as diferenças se tornam riqueza. Não conseguimos entender este mistério, mas podemos contemplá-lo e nos alegrar porque Deus-Trindade se revelou a nós e nos salvou pela ação de Jesus Cristo. A fé é o caminho que nos proporciona este encontro, pela fé conhecemos Deus e entramos na sua intimidade. Cada vez que nos aproximamos de Deus, Ele nos revela o que temos de melhor e nos envia a encontrar nossos irmãos e irmãs.

O Evangelho deste domingo nos ajuda a acompanhar a última fase da história da salvação: o tempo da Igreja, nosso tempo, em que assumimos a missão de Jesus e seremos acompanhados pela presença do Espírito Santo. Ele virá sobre a Igreja, diz Jesus, e a levará ao conhecimento de toda a verdade, morará nela, para aperfeiçoar a obra do Filho e santificar todas as coisas. A Festa de Pentecostes nos fez reviver o amor de Deus derramado sobre nós: o Espírito nos acompanha em tudo, nos defende e nos faz recordar tudo o que Jesus ensinou. O Espírito Santo é o dom do Pai para seus filhos e filhas. “Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado”.

Só conheceremos Deus à medida que Ele se revela. O que sabemos e podemos experimentar é a proximidade de Deus que caminha conosco, orienta, ama, admoesta e se faz um de nós através de Jesus, o Filho amado, e que continua a agir no dinamismo do Espírito Santo. Nunca conseguiremos expressar em palavras o que acontece na experiência de encontro entre Deus Uno e Trino e o ser humano. Este é um mistério profundo de Fé, onde só entramos através da contemplação e adoração, sem nunca esgotá-lo. Como Moisés diante da sarça ardente: “Não te aproximes. Tira as sandálias dos pés, porque o lugar que pisas é terreno sagrado” (Ex 3,5).

 

 

Bispo da Diocese de Toledo

 

revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO