Copagril
Arno Kunzler

“MADURO” pra cair?

 

Será que o ditador Nicolás Maduro está “maduro” pra cair?

Todas as evidências indicam que sim.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Não há mais ambiente externo para manutenção da ditadura implantada por Maduro e muito menos interno, onde a crise de abastecimento, especialmente de comida e remédios, atinge seu grau máximo.

Nicolás Maduro deve ter o destino de todo governante incapaz de perceber que está maltratando seu próprio povo.

A ditadura Chávez/Maduro aniquilou a economia pujante que era a Venezuela antes do regime bolivariano.

Empresas fecharam e foram embora do país.

Trabalhadores da iniciativa privada perderam seus empregos.

O governo passou a depender somente do petróleo.

No afã de ter seu povo “embaixo dos braços” do regime bolivariano, os governos Chávez e Maduro foram deteriorando a capacidade do seu povo de produzir e se autossustentar, trabalhando.

Passaram a ser dependentes do Estado, um Estado incapaz de administrar as próprias mazelas que criou com suas incursões contra os Estados Unidos e países vizinhos.

Internamente Maduro foi depenando as instituições, transformando os críticos ao seu governo em inimigos da pátria, discursos próprios dos ditadores.

Foi alienando quem pôde e quem não pôde foi sendo aniquilado pela força da opressão.

Assim, chegamos ao momento atual. Um governo ditatorial sem apoio do povo que passa fome, não tem remédios e está completamente isolado pela comunidade internacional.

Os países que o apoiam, o fazem apenas formalmente para não ter que concordar com as ações lideradas pelos Estados Unidos e a Europa.

Chegamos ao momento extremo, em que os conflitos nas ruas substituem o diálogo e as negociações.

Isso não tem prazo para terminar, mas sabemos que também não vai durar.

Logo, Maduro está contando os dias para ser apeado do poder, ou pela perda do apoio dos militares que parecem ser os únicos a apoiá-lo neste momento, ou pela incapacidade de controlar a crise, mesmo com o Exército ao seu lado.

Não creio que teremos ações militares, mas o fim da ditadura Chávez/Maduro é a única saída para a Venezuela voltar a crescer e poder chamar os emigrantes de volta para a construção de um novo momento.

É triste ver o povo venezuelano implorar comida e abrigo, longe da sua pátria.

É triste ver famílias se desagregando em busca de oportunidades de trabalho em outros países, se sujeitando a toda sorte de adversidades que eles enfrentam para viver num país que não é o deles.

Eles não estão vindo desfrutar de algo melhor, eles estão apenas fugindo de algo pior!

 

O autor é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos da Natureza

arno@opresente.com.br

TOPO