Elio Migliorança

MERCADO DE FRASES

Há um mercado em expansão, favorecido pela universalização da comunicação via internet. É a construção intelectual de milhares de anônimos que conseguem através de boas frases manifestar sua opinião, descontentamento, revolta ou apoio às atitudes de pessoas, governos e entidades das mais diversas ideologias ou credos. Diante do terremoto que se avizinha com a CPMI instalada no Congresso Nacional, em que figuras até então respeitadas mostram-se mais sujas que “pau de galinheiro”, alguém cunhou e distribuiu uma frase que interpreta bem o sentimento popular diante do fato: “quem compra drogas financia o crime organizado, quem paga impostos também”. Não se sabe qual a cabeça que a produziu, o certo é que elas aparecem, multiplicam-se e cortam os céus do Brasil via satélite, chegando a milhões de destinatários. É aí que mora o perigo. Alguém do governo já está pensando em controle das mídias. Seria uma tragédia para a liberdade e a democracia.
Outro esforço nacional recente foi interpretado com muita propriedade, através da frase: “Se o governo se preocupasse com as filas do INSS como se preocupa com as filas do visto para os Estados Unidos, elas com certeza já teriam terminado”. Já para enquadrar determinadas besteiras que são ditas, besteiras estas que saem de todas as esferas do poder, seja política, econômica ou religiosa, um anônimo inteligente escreveu: “o problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as idiotas estão cheias de certezas”. No meio de todo este barulho, nada melhor do que você poder deitar-se e dormir tranquilo, e até para esta situação existe uma afirmativa inteligente: “não há travesseiro tão macio quanto uma consciência limpa”.
A popularização da internet tornou isso possível, mas nem tudo são flores porque também existe muita porcaria e mentira espalhada via on-line. Mas os que fazem isso também foram cobrados pelo criador da frase: “na internet você pode ser quem quiser. É estranho que muitos escolham ser estúpidos”. Já para aqueles que vivem lamentando, reclamando de tudo, não importa se chova ou faça sol, sempre enxergam em tudo o lado cinzento, lá vai o recado: “não chore por as coisas terem terminado, sorria por elas terem existido”. E àqueles que correm atrás da realização dos seus sonhos, vai aí um recado importante: “se quiser realizar seus sonhos… acorde”. Sim, porque tem muita gente esperando o pão cair do céu, e de preferência com o melado para cima. E como a vida é feita de oportunidades, e para muitos ela aparece de forma inesperada, então que cada um busque seu aprendizado e preparação, pois: “é melhor estar preparado para uma oportunidade e nunca tê-la do que ter a oportunidade e não estar preparado”.
E como na semana que passou os destaques foram para as investigações ligadas ao “imbróglio” Cachoeira e à atuação de dois “gandulas” em jogos decisivos nos rios, um de Janeiro e outro do Sul, vieram duas definições geniais dizendo que: “ladrão é técnico em redistribuição de renda, e gandula é coordenador de fluxo de artigos esportivos”.
 

TOPO