Copagril
Elio Migliorança

MINHAS CONSIDERAÇÕES

Já votei em Brizola, em Fernando Collor, em Fernando Henrique, em Lula e em Geraldo Alckmin entre outros. Isso mostra que meu voto não é partidário e sim fruto de uma análise criteriosa do momento e das qualidades de cada um. Posso assim tornar públicas algumas considerações que faço no momento de decidir em quem votar. Nunca pedi e nem me foi dado cargo político ou outro beneficio em função do voto. Estamos diante de uma eleição presidencial, tão importante quanto as outras. Todas as eleições presidenciais são importantes. É fundamental uma análise e um exame de consciência antes de votar. Aí estão vários candidatos. Não me importa quanto cada um tem nas pesquisas. O que importa é refletir sobre o que fazer, quem escolher e assumir a responsabilidade pela escolha feita. Sim, porque o ser humano é refém de suas próprias escolhas, seja pessoal, profissional ou política. A quem entregaremos o país deve cada um perguntar-se. Não votarei pela opinião dos outros, mas a partir das informações, tirar a própria conclusão e partir para a ação. O passado pode antever o futuro. Então o que cada um já realizou vai balizar minha escolha.
Não me convence dizer que Dilma é melhor porque o Governo Lula foi melhor que outros governos, afinal quem vai governar é ela e não o Lula. Considero Fernando Henrique um grande injustiçado neste país. Foi em seu governo que conquistamos a estabilidade da moeda. Só quem viveu a inflação galopante do governo Sarney sabe o que isso significou para a economia e o desenvolvimento. Serra e Dilma foram ministros, portanto neste quesito estão empatados. Ambos foram perseguidos pelo regime militar, a diferença é que Dilma foi assaltante e Serra não. Serra foi prefeito da maior cidade do país, foi deputado federal, senador, governador do mais importante Estado do país e, segundo os paulistanos, com ótimo desempenho. Dilma nunca ocupou cargo eletivo e sua única experiência administrativa, segundo reportagem da revista Veja, foi uma loja de 1,99 e fora isso sempre ocupou cargos políticos de assessoria antes de ser ministra.
Nunca se teve notícia de esquemas de corrupção em que Serra estivesse envolvido. Dilma vinha bem neste item, mas o episódio Erenice Guerra ainda precisa ser melhor explicado. O governo Lula, que Dilma afirma vai continuar, se fundamentou na distribuição de benefícios e no aparelhamento político do governo, enquanto Serra se destacou como administrador por onde passou. Em 1985 numa entrevista concedida ao então repórter da TV Tarobá Lourival Neves, já falecido, afirmei que era contra a reeleição, pois tenho a convicção de que a alternância no poder é saudável para a democracia. Está parecendo que votar em Dilma se reelege Lula.
Agora cada um assuma sua responsabilidade, analise a quem entregaria para administrar uma empresa se a tivesse, e qual o estilo de administração que gostaria para sua empresa e terá então decidido em quem votar. Espero que a decisão dos brasileiros não nos conduza a um inverno moral cuja volta seja penosa e sofrida. Eu prefiro ser um honesto falido do que um corrupto de sucesso. 

TOPO