Elio Migliorança

Namastê

Os indianos não possuem a cultura do abraço ou o cumprimento com a mão ao encontrar alguém, mas de forma respeitosa juntam as mãos na altura do peito e com uma leve inclinação da cabeça dizem “namastê”. O respeitoso cumprimento significa “o Deus que está em mim saúda o Deus que está em você”. Continuando o relato iniciado no último artigo, voltamos ao tema das castas que possuem origem na religião Hindu. Sobre a influência das castas no futuro das pessoas, nosso guia Sudhan disse que o futuro depende do seu esforço e dedicação. Nosso guia pertence à casta dos Brâmanes, em tese a classe superior; já o primeiro-ministro da Índia é da casta dos Xátrias, a casta dos guerreiros, e o presidente da Índia pertence à casta dos Dali, a última classe da pirâmide social, comprovando que o futuro cada um constrói a partir do seu esforço e das suas escolhas.

O país tem pouco menos que a metade da área do Brasil e 650 milhões de pessoas vivem na área rural, portanto sem espaço para grandes propriedades. Isto faz o país ser autossuficiente em produtos como arroz, milho, cana, frutas e azeite, que é produzido de mostarda e coco, com alta produção de produtos orgânicos. A Índia tem 29 Estados e elege o primeiro-ministro a cada cinco anos, onde votam em torno de 650 milhões de eleitores, o que faz dela a maior democracia do mundo.

Casa do Eletricista – RETOMA

Conhecemos a região chamada de “O triângulo dourado”, formada pelas três cidades mais visitadas na Índia: Délhi, a Capital, mais Jaipur e Agra. Em Agra está uma das sete maravilhas do mundo moderno: o imponente Taj Mahal, um monumento construído pelo rei para servir de sepultura à sua amada, e hoje ambos dormem o sono eterno naquele valioso patrimônio cultural e centro religioso.

Devido à limitada extensão territorial, é comum os filhos continuarem a viver na casa dos pais, mesmo depois de casados, mais comum na área rural, mas também ocorre na área urbana. A organização familiar foi surpreendente porque são os pais que negociam o casamento dos filhos, havendo casos em que os noivos se conhecem no dia do casamento. Segundo nosso guia Sudhan, há diferença entre amor e paixão. A paixão pode acabar, o amor não, já que ele é construído cada dia na convivência do casal, quando se quer fazer o outro feliz. Em 80% dos casos o casamento é negociado pelos pais, enquanto que 20% dos casamentos são escolhas feitas pelos noivos. Aí surge uma informação relevante: somente 1% dos casamentos negociados pelos pais termina em separação, enquanto atinge 30% quando o casamento foi escolha dos noivos.

Na religião os indianos vão ao fundo da alma. Muito respeito pela natureza, várias espécies são consideradas sagradas, como a vaca, o macaco, a pomba e os elefantes. Eles reverenciam a muitos deuses e cultivam muito a vida interior através da meditação e da contemplação.

No aspecto social são muito parecidos com o Brasil. Há ricos e pobres, como também os miseráveis que ainda lutam por condições de vida digna.

Não há cemitérios na Índia. Os mortos são cremados e as cinzas jogadas no rio, também sagrado porque sem água não existe vida.

Destaque para o líder da libertação da Índia, o Mahatma Ghandi, considerado o pai da pátria e Madre Teresa de Calcutá pelo trabalho em prol dos doentes e desamparados.

Da Índia que nos surpreendeu voamos para o Nepal, tema para o próximo artigo.

 

O autor é professor em Nova Santa Rosa

miglioranza@opcaonet.com.br

 

TOPO