Copagril
Editorial

Não dá pra ficar na idade da pedra

Os modelos de trabalho estão em pulsante mutação nos últimos anos. O mercado exige cada vez mais pessoas que saibam lidar com diferentes tipos de tecnologia, até porque na vida cotidiana destas pessoas elas também estão sempre presentes. Em Marechal Cândido Rondon há uma carência enorme de profissionais que atuem com alta tecnologia ou atividades similares. A internet migrou dos computadores para as casas, carros e smartphones, e tudo que gira em torno dela pode ser considerada uma atividade profissional interessante.

De acordo com o Núcleo Setorial de Informática rondonense, faltam profissionais na área de desenvolvimento de software em todo o Brasil, mas em Marechal Rondon não há nem a formação de mão de obra, o que coloca o setor do município em desvantagem competitiva em relação a outras cidades, pois há custos para formar e qualificar os programadores dentro da empresa, enquanto em outras cidades os programadores são formados em curso superiores e qualificados em instituições de pesquisa.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Para tentar reverter essa dificuldade de encontrar profissionais dessa espécie é que a prefeitura rondonense está desenvolvendo, em parceria com o Senac e com o Núcleo de Informática da Associação Comercial e Empresarial (Acimacar), um curso de formação de programadores web. E o melhor, tudo de graça (para o aluno – o curso é subsidiado com dinheiro público). As inscrições estão abertas e podem ser feitas até o próximo dia 12. Estão sendo ofertadas 20 vagas.

Mais do que aproveitar uma oportunidade de qualificação profissional, o interessado poderá sair com emprego garantido ao final de seis meses, ou 240 horas de aulas. Isso porque durante o período do curso, as empresas de desenvolvimento de software do Núcleo de Informática acompanharão os alunos e poderão ofertar vagas de estágio a quem se destacar. Do estágio para a efetivação é um pulo.

Os jovens de hoje em dia precisam se conscientizar de que a profissionalização em qualquer área da tecnologia é um caminho interessante e precisa ser avaliado. Tecnologia é a base de praticamente tudo o que a humanidade consome atualmente, da alimentação à informação e conhecimento, do eletrodoméstico à consulta médica. O futuro ninguém sabe como será, mas fatalmente a tecnologia na vida das pessoas é uma verdade e é irreversível. Muito daquilo que se conhece hoje vai desaparecer em pouco tempo. Muito daquilo que nem se imagina vai ser realidade amanhã ou depois. Não dá pra ficar na idade da pedra.

É preciso fazer mais neste sentido em Marechal Cândido Rondon. Atrair um curso superior para tais áreas seria uma saída a médio prazo, desenvolver mais cursos preparatórios como este que começa em novembro e estimular a disrupção nas escolas são outras alternativas.

O Brasil precisa investir na qualificação dos jovens para que possam entrar no mercado de trabalho conscientes do que vão encarar pela maior parte das suas vidas e que possam, acima de tudo, serem produtivos e eficientes para as empresas, para a sociedade e para o país.

TOPO