Ford/Abradif/Rodovel Ranger
Arno Kunzler

Nem os mitos resistem

Os brasileiros cansaram…

De tantas vezes ouvir a mesma coisa, as mesmas promessas eleitorais, as mesmas e esfarrapadas desculpas para depois não cumprir o que foi prometido…

Cansaram da mesmice, das mesmas pessoas que há décadas ocupam seus lugares cativos, cansaram dos argumentos e das respostas engenhosamente calculadas para explicar o inexplicável.

Cansaram das pizzas das CPIs, das comissões de alto nível…

Os brasileiros cansaram de esperar, de ter esperança nas instituições, nas pessoas…

E nesse tiroteio estão caindo alguns mitos até então considerados inatingíveis, intocáveis…

Quando o ex-presidente Lula mobilizou as lideranças do país para conquistar a Copa e as Olimpíadas, certamente imaginou outra reação das ruas.

O brasileiro está dizendo que gosta de futebol sim, mas não acima de qualquer coisa…

Não se pode mais fazer o que bem entende e apostar que um jogo da Seleção apague da memória dos brasileiros as maracutaias que estão sendo feitas para construir estádios e obras sem respeito ao dinheiro público…

Não se pode mais chamar o Pelé e o Ronaldo Fenômeno, até então figuras com aprovação unânime e isentas de qualquer responsabilidade, e achar que a palavra deles vai acalmar os ânimos exaltados do povo nas ruas, cansado de ter esperança, cansado de acreditar…

Nem se pode mais atribuir ao povo brasileiro esse conceito de pacato, que aceita tudo, que não reage…

Reage sim.

O Brasil inteiro viu que o povo reage e também viu que algo precisa mudar a partir de agora, e vai mudar…

E os governantes que foram à televisão no dia seguinte ao primeiro protesto dizer que não adiantava gritar que a passagem não iria diminuir, o que dizem depois disso?

Quase todos os municípios já diminuíram e os que não diminuíram ainda certamente vão diminuir na marra, na pressão ou na porrada.

Então, como é que é isso, agora pode ser mais barato?

Depois que o povo cansou de pagar sem questionar, agora pode?

O mesmo governante que antes garantiu que tinha que aumentar para não parar o transporte público, agora aceita voltar atrás e o transporte não para?

Será que os pedágios, que sempre aumentam generosamente, mesmo quando o resto da economia não acompanha, também não podem mudar de valor, se o povo resolver?

O Brasil está “superando” seus mitos, obrigado!

Não somos mais o país do futebol, nem o país onde o Pelé e o Ronaldo reinam inquestionáveis e muito menos onde o povo é pacato, capaz de aceitar tudo.

TOPO