Copagril
Elio Migliorança

O Caminho das Índias

A narrativa do descobrimento do Brasil no ano de 1.500 afirma que os portugueses chegaram ao Brasil por acaso, consequência de tempestades no mar que os desviaram da rota e assim encontraram esta terra maravilhosa chamada Brasil. A viagem comandada por Pedro Alvares Cabral buscava descobrir o caminho marítimo para as Índias, pois a Europa comprava as famosas especiarias e sedas vindas daquele país, o que comprova o desenvolvimento daquele povo, que há 500 anos já comercializava seus produtos com o mundo conhecido de então.

A cultura, o desenvolvimento tecnológico e a organização social e política do povo indiano sempre despertaram curiosidade e fascínio aos que dedicaram parte de seu tempo desbravando os livros de História. Se o Brasil chegou onde está ao longo destes 500 anos, consideremos que este povo já mantinha comércio com o mundo e certamente acumulou muita história nestes séculos.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Farei o que Cabral fez, mas com maior facilidade. Estou preparando a partida em direção ao “Caminho das Índias”. Quando você estiver lendo este artigo eu estarei na contagem regressiva para realizar mais um sonho. Viajar é viver, então vou acrescentar a esta vida o conhecimento dos costumes, organização social, política e econômica dos povos indianos. Suas comidas, suas crenças e suas lendas.

Como a região Oeste do Paraná é um consumidor fiel de carne de gado, será interessante conhecer um povo que considera a vaca como um animal sagrado. Além da Índia, uma passagem obrigatória para conhecer e admirar a arquitetura ímpar de Dubai, hoje uma potência que desafiou os limites da engenharia e arquitetura com suas construções únicas e imponentes. Nadando de braçada no mar dos petrodólares, os sheikes surpreendem o mundo com suas construções ao ponto de terem transformado o Aeroporto de Dubai no mais movimentado do mundo.

Depois do encanto histórico e lendário dos indianos, das fantásticas obras de engenharia de Dubai, um mergulho nas terras nepalesas servirão para contemplar a majestosa Cordilheira do Himalaia, imponente e gigantesca, uma obra prima da natureza. A cultura e os costumes dos povos do Nepal constituem um verdadeiro tesouro planetário, declarado patrimônio cultural da humanidade. Terra do Buda é o único país do mundo a possuir uma bandeira de forma não retangular. Estas e muitas outras curiosidades serão meu livro de estudos nos próximos dias.

Por conta desta sonhada viagem, estarei ausente deste espaço durante o restante do mês de novembro. Ao retornar partilharei com os leitores do Jornal O Presente todas as experiências e conhecimentos adquiridos no caminho. Fora do meu país, estarei longe das frustrações causadas pelas decisões do Supremo Tribunal Federal e dos maus exemplos que a classe política tem dado aos brasileiros. Sabemos que a corrupção e a burocracia infernizam a vida dos brasileiros; será interessante descobrir qual é a realidade daqueles países nestes quesitos. Uma oportunidade para comparar as leis e o comportamento das autoridades daqui com os países visitados. Espero que ao retornar o Brasil esteja um pouco melhor para todos. Rogo que a mão protetora de Deus espalhe muita saúde, paz, fé e esperança sobre todos. 

 

O autor é professor em Nova Santa Rosa

miglioranza@opcaonet.com.br

 

TOPO