Copagril
Dom João Carlos Seneme

O DIA “D” DA HISTÓRIA E DA VIDA

O ocidente recordou semana passada os 70 anos do “dia D”, data do desembarque na Normandia, Noroeste da França, das tropas aliadas que na 2ª Guerra Mundial lutavam contra os exércitos de Adolf Hitler, que incluíam Alemanha, Itália e Japão. No vocabulário militar, o “dia D” é o termo usado para denotar o dia em que uma operação de combate será iniciada. Lá foi no dia 06 de junho de 1944. E aqui o dia 06 de junho foi um dia para uma pausa no tema dominante, já que a Seleção Brasileira e as obras inacabadas para a Copa do Mundo monopolizam os veículos de comunicação. Oportuno refletir sobre o significado daquele dia, reverenciar os que morreram defendendo o ideal de um mundo livre de tiranos e regimes totalitários, bem como refletir sobre os ideais que motivavam os combatentes. Entre os entrevistados que falaram da operação militar, um deles falou do ideário que movia os soldados, afirmando que “os soldados alemães lutavam por Hitler, enquanto os soldados aliados lutavam por liberdade”. Esta é uma frase de significado profundo e que explica melhor a dedicação e o espírito com que os soldados enfrentavam o horror da guerra, pois toda a guerra é um sacrifício e um horror, nada parecido com o romantismo mostrado nos filmes que retratam o tema. Agora cabe uma pergunta: e você, luta por quem? Quais são seus ideais? Quais as motivações que impulsionam suas atitudes? Que lutas valem a pena ser enfrentadas? Em que lutas vale a pena consumir seu tempo e suas forças? Nós não estamos em guerra com outras nações, mas enfrentamos cada dia muitos desafios. Todas as vezes que você tiver a coragem de se posicionar a favor ou contra um fato ou um governo, vai encontrar oposição e será necessário lutar para defender uma ideia. Agora estamos vivendo um momento raro, sediar uma Copa do Mundo, e uma grande parcela da sociedade, especialmente aqueles que detêm o poder, gostaria de ver todos “alienados e embevecidos” com o futebol, enquanto estamos sendo roubados pelos esquemas de corrupção cada vez mais sofisticados e nas entranhas do próprio governo. Mas nós podemos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Basta separá-las, porque torcer pela Seleção é uma coisa e questionar o que está errado no Brasil é outra. Até a propaganda que o governo faz tem que ser questionada. Porque o problema não é a propaganda, propaganda todo o governo faz. O problema é gastar muito dinheiro para esconder a verdade. Existem até alguns princípios fundamentais, como aquele do capítulo I da Constituição Brasileira afirmando que “todos são iguais perante a lei”, mas se analisarmos esta afirmação dentro da conjuntura nacional, veremos que hoje ela é uma mentira. Quando você tem muito dinheiro vai para o Sírio Libanês, mas quando você não tem nada, corre o risco de morrer na fila do SUS. Existe até uma escala social para os ladrões. Ladrão grande tem direito a “embargos infringentes”, e para os demais as cadeias medievais, como afirmou o próprio ministro da Justiça falando do sistema prisional brasileiro. Enfim, como você gostaria de ser lembrado no futuro? Tudo depende das lutas pelas quais você vai gastar suas energias. Este pode ser o “dia D” da história da tua vida. Feliz Copa do Mundo para todas as seleções. 
* O autor é professor em Nova Santa Rosa
miglioranza@opcaonet.com.br

TOPO