Elio Migliorança

O QUE CRESCEU E O QUE PRECISA CRESCER

Há muitos temas em debate no Brasil. São temas passados a limpo nos veículos de comunicação, nas redes sociais ou até em lugares onde o tempo parece que não passa, como na fila do banco e da repartição pública, ou no horário de espera daquela reunião que foi marcada para as oito, mas que só vai começar às oito e meia ou mais tarde. Com tantos debates, crescemos bem em alguns setores. A consciência crítica da população melhorou muito nos últimos anos. As pessoas, cada vez mais conscientes dos seus direitos, aprenderam a reclamar contra as injustiças ou golpes de que são vítimas no mundo comercial. Que o digam as operadoras de telefonia no Brasil. Acostumadas a explorar seus consumidores, veem o número de pessoas que buscam seus direitos crescer a cada dia. Multiplica-se o número de pessoas que procuram seus direitos quando lesadas por propaganda enganosa ou que compraram produtos e verificaram que os mesmos eram uma fraude.
Cresce o número de pessoas que questionam e investigam a origem e a verdade das notícias ou informações. Não se deixam manipular por notícias fabricadas ou por informações distorcidas. Percebem a forma tendenciosa com que muitos veículos de comunicação divulgam fatos, favorecendo os que lhes pagam pela divulgação, sejam governantes ou grupos econômicos. Cresceu muito o número de pessoas que denunciam esquemas de corrupção e superfaturamento de obras públicas.
A educação está promovendo uma revolução intelectual, curso superior, mestrado e doutorado estão ao alcance de todos e isso tem melhorado o nível intelectual e o espírito crítico e com isso a população não se deixa enganar tão facilmente por manobras de políticos inescrupulosos que se beneficiam dos cargos que ocupam. Por outro lado, na semana que passou começaram os atos de inauguração das reformas dos estádios que serão utilizados na Copa do Mundo. O que outrora foi festejada como uma conquista, a realização da Copa do Mundo, hoje é vista como um “pepino” por muitos dos festeiros de então. Muitos acordaram para a gastança que se fez com as reformas, muitos escândalos denunciados acabaram comprovados e lá se foram preciosos recursos para o ralo da corrupção.
Enquanto outros países investem em infraestrutura produtiva que vai gerar emprego e renda, nós estamos investindo em pão e circo. Mas o número dos que lutam contra a corrupção precisa crescer mais. O primeiro passo é não corromper-se. Depois lutar contra as gastanças desnecessárias ou mal-intencionadas. O Brasil ainda tem algumas coisas incompreensíveis. Qual a razão da propaganda da Petrobras se ela tem o monopólio da exploração do petróleo? Por que fazer propaganda da concessão das “bolsas-tudo”? Não seria melhor utilizar este dinheiro em algo mais útil, tipo diminuir um pouco o caos na saúde pública?
A corrupção mata o corpo quando tira dinheiro da saúde e mata o ideal quando falta para a criação de novos empregos. Ao invés de discutir se os condenados do mensalão devem ou não ser presos, vamos lutar pela prisão de todos os corruptos, mesmo que alguns deles morem na sua rua.

TOPO