Copagril
Pastor Mário Hort

O que você leva em sua canoa para última catarata? – 1ª parte

Concluída a escrita em Nova Iorque, aproveitei a viagem para escrever também junto às Cataratas do Niágara. A viagem a Toronto durou apenas uma hora e eu tive que me apresentar à polícia aduaneira para entrar para o Canadá.

A apresentação dos documentos sempre é envolvida com temor, na expectativa de que tudo esteja em ordem. Ao me aproximar dos atendentes, observei os policiais aduaneiros que faziam o trabalho de verificação dos documentos e me chamou a atenção que não havia pessoas fortemente armadas, nem com uniformes e aparelhos de comunicação. Todos policiais canadenses estavam em vestes simples e normais, porém eles podem mandar para a sala de interrogatórios, onde os intrusos são presos e deportados.

Casa do Eletricista LORENZETTI

Em 1986, visitando a cidade de Edmonton, no Canadá, fomos levados a um interrogatório assim. Estava tudo certo, mesmo assim foi assustador.

Em Toronto eu fui recebido por uma jovem de 22 anos de idade. Ela abriu meus documentos e com olhares “clínicos” de sua profissão analisou a validade do passaporte, o visto de entrada em seu país e simpaticamente deu o bem-vindo ao Canadá.

A simpatia da jovem policial me encorajou a entrevistá-la, dizendo: “Vejo que você é jovem, me atende com muita gentileza, mas eu devo lhe apresentar meu passaporte com o visto e tudo deve estar válido. Agora eu vou lhe fazer uma entrevista para escrever em meu novo tema: ‘O que você leva em sua canoa para sua última catarata da vida’”. E expliquei: “Algum dia você e eu vamos chegar à ‘última catarata da vida’, o que você precisa ter em sua bagagem ao despertar, após a última catarata?”.

A jovem ficou impressionada com a pergunta, e eu lhe disse: “Acabo de descobrir um item da ‘bagagem’ que devemos levar em nossa canoa, para a última catarata, que é o nosso passaporte, com o visto e tudo deve estar válido para a eternidade. Obrigado pela primeira entrevista em sua terra”, concluí e entrei para o Canadá.

A diferença após a “última catarata” é que todos nós chegaremos à aduana do reino dos céus.

Teremos o nosso “passaporte válido” com o visto de Jesus Cristo, que nos permitirá entrar no reino de Deus para a glória eterna?

Não podemos “remar” um só dia em nossa canoa sem o nosso documento expedido pelo único embaixador Jesus Cristo, que veio para nos oferecer o passaporte e o visto para a salvação.

Agora no Canadá, eu não devo sair da porta do quarto de hotel sem me certificar de que meu passaporte esteja comigo, pois a minha única segurança é o passaporte com visto canadense.

Católicos, evangélicos, crentes, pentecostais… frequentam suas igrejas, ofertam dízimos, alguns doam suas propriedades para ganhar três em troca… Mas vivem sem o passaporte da alma em dia. Algumas pessoas nunca tiveram o “visto” carimbado pelo sangue de Jesus Cristo. Outros já perderam a validade de sua conversão e foram riscados no livro da vida. Quando morrem, os religiosos precisam declarar piamente: “Este nosso irmão foi promovido para a glória”. Será?

TOPO