Ford/Abradif/Rodovel Ranger
Pastor Mário Hort

O voo cancelado em Paris

 

O susto de um cancelamento de voo em plena viagem internacional sempre causa grandes transtornos e pode até impedir importantes compromissos.

Estou em Paris (França) pelo voo cancelado, enquanto eu já deveria estar cumprindo parte dos planos da viagem a Moscou, onde espero poder ler essas linhas de meu artigo no Jornal O Presente.

Aproveito o “cancelamento” para saudar os leitores de meus artigos e comunicar que a viagem tem como principal objetivo a continuidade, e não a despedida final, de todo meu trabalho de escritas para a literatura Ecos da Liberdade.

O voo cancelado de Paris para Hannover (Alemanha), onde meu irmão já estava no aeroporto à minha espera, permitiu esta saudação pessoal aos leitores, e com isso a volta de novas tentativas de “viagens” para obter novos horizontes para a comunicação.

O voo cancelado também me faz escrever essas linhas em gratidão especial ao diretor do Jornal O Presente, senhor Arno Kunzler, que em recente artigo manifestou sua firme convicção de que “o jornal impresso ainda tem sua função fundamental para o presente e o futuro”. E com um único e forte argumento: “A escrita no papel impresso sempre terá futuro, desde que os conteúdos tenham conteúdo jornalístico de qualidade…”.

Eu precisei avaliar se continuo ou escrevo minha despedida, quando solicitei orientação e pelo apoio de O Presente comprei as passagens para as escritas em Moscou (Rússia) e outros países da Europa.

O voo cancelado me permitiu recordar que, ao ler um artigo em O Presente de um colega escritor dos artigos, obtive um dos maiores impulsos para escrever. Ele apenas descreveu sua caminhada por Nova Iorque. Assim, desejo agradecer ao escritor daquele artigo e ao senhor Arno Kunzler por sua iniciativa de trazer uma “janela” para a visão de nossos leitores por pesquisas, informações e assuntos que apontam um cenário mais amplo do mundo.

Agradeço a Deus pelo cancelamento de minha viagem e embarco para Hannover em instantes, pois assim pude escrever essas linhas em Paris, e posso solicitar o apoio aos meios de comunicação no papel (e na internet) que desde o tempo das escritas em pedras foi e será para sempre o meio mais nobre para lavrar importantes conhecimentos para o conhecimento de pessoas do presente, e pode alcançar pessoas em futuros séculos.

Se Deus me permite realizar as escritas de três novos temas em Moscou, com visitas ao campo de concentração nazista Bergen-Belzen, e o congresso de nossa igreja na Alemanha, este será o início do “clamor” maior para seguir nossa missão, que ao não ser abandonada por desconsideração pode seguir por futuras gerações.

Entendemos que os valiosos meios de comunicação por internet darão uma das mais importantes contribuições para com a capacidade dos leitores em suas escritas, leituras e interpretações de textos porque esses meios de comunicação instantâneos abrem o apetite e aumentam a capacidade e o número de escritores e leitores.

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

 

TOPO