Copagril
Arno Kunzler

Onde vamos parar?

A julgar pelas notícias que vemos, ouvimos e lemos, o Brasil não terá ninguém capaz de cassar ninguém, pois todos estão com as mãos sujas.

E por assim dizer, querem nos fazer entender que quem está com as mãos sujas não pode cassar alguém que sujou as mãos e foi pego em flagrante.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Logo, quem está com as mãos sujas, comprovadamente envolvido com desvios e falcatruas de dinheiro público, não pode ser cassado porque não haverá alguém suficientemente limpo para fazê-lo.

E agora?

Vamos conviver com isso até quando?

Vamos aceitar que um não pode cassar o outro porque ambos estão com as mãos sujas?

Ou isso é mais uma peça do grande teatro que estamos assistindo, onde cada um faz o que pode para se manter onde está?

Parece tudo muito bem engendrado para que a opinião pública se divida entre o ladrão que está e o ladrão que estará no poder, caso o Congresso Nacional tome a decisão de cassar o mandato da presidenta Dilma Rousseff.

Estamos sendo induzidos a acreditar que é melhor um ladrão ficar do que outro assumir o seu lugar, mesmo que contra, ou os outros não tenham acusações formalizadas, capaz de sustentar uma sentença de cassação.

E agora, como fica o Brasil?

Afinal, caso seja de fato comprovada a malversação do dinheiro público, é preciso cassar a presidenta ou não?

Mesmo sabendo que eu seu lugar assumirá alguém contra o qual também há suspeitas?

O que se pretende passar para a opinião pública é que as instituições estão ameaçadas, caso um ladrão seja cassado por outro ladrão.

É isso mesmo, parece cômico, mas é real.

E nós, o que vamos fazer?

Aceitar que é assim mesmo, que não temos ninguém melhor para governar?

Mesmo com tantos elementos que comprovam, se não o envolvimento direto da nossa presidenta com o desvio de recursos públicos, pelo menos a conivência, ou a incompetência de evitá-lo.

Se o Congresso quiser salvar o Brasil, terá que tomar uma decisão ousada e corajosa. Ou simplesmente assinará em baixo de todos os desvios e todas as falcatruas que esse governo está envolvido.

Não se pode deixar o país nas mãos de um governante (a) que não tem condições morais, éticas e, acima de tudo, não tem competência para dirigir um governo depois de tudo que vimos.

O Brasil tem jeito sim, mas precisa sacudir Brasília, antes que a última chama de esperança se apague.

O governo do PT foi longe demais e se continuar, mesmo adotando medidas corretivas agora, perdeu a condição de governabilidade.

O governo perdeu o rumo, perdeu a vergonha e não tem mais credibilidade para ficar mais três anos e meio no poder.

O Brasil está politicamente sem rumo, ainda que o governo, tardiamente, tente corrigir os erros que insistiu não ver antes da eleição de 2014.

Depois da mentira da conta de luz que baixou durante a campanha eleitoral, mostrando que foi apenas um golpe eleitoreiro, do combustível que ficou barato até a eleição, dos juros que saltaram depois da reeleição e agora do desemprego, da falta de crescimento e de tantas notícias de gente grande do governo envolvida em toda sorte das falcatruas, sinceramente, não dá mais.

CHEGAAAAAA!!!

 

* O autor é jornalista e diretor do Jornal O Presente

arno@opresente.com.br

 

TOPO