Silvana Nardello Nasihgil

Para refletir

A nossa saúde mental agradece muito quando escolhemos viver mais leves, quando compreendemos e cremos ser necessário descarregar pesos extras.

A vida vai acontecendo sem esperar que os sofrimentos se resolvam por si só e que as angústias se dissipem como num passe de mágica. Isso seria esperar pelo impossível.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Não é saudável fantasiar com dias de plenitude, como se ao acordarmos um dia todas as coisas tenham encontrado o seu justo lugar. Isso nunca irá acontecer!

A vida é de quem faz escolhas e toma atitudes.

A vida traz consigo todas as possibilidades no decorrer da nossa existência. Precisamos buscar compreender como buscá-las para podermos colocar em prática os nossos anseios, tornando realidade aquilo que só ousamos fantasiar.

Vírgula ou ponto final?

Muitas vezes é difícil a compreensão do espaço que separa um do outro, porque, envolvidos, deixamos de avaliar com a razão, e quando o lado carente fala alto a gente pode optar por não escolher, permanecendo preso a situações sem futuro e cheias de sofrimentos.

Então, é preciso avaliar o que estamos fazendo com aquilo que não faz mais sentido nas nossas vidas, ou o que por alguma razão deixou de fazer. Muitas vezes é preciso uma dose extra de coragem para se tomar certas decisões, principalmente aquelas que venham gerar mudanças.

Quando isso se faz necessário, a atitude precisa acontecer com ou sem coragem e até com medo, pela necessidade e urgência que ela evoca.

Nunca existirá mudança sem atitudes, sem foco e sem determinação.

Nunca existirá espaço para que o novo se instale se não forem abandonados os comportamentos (e as pessoas) velhos e tóxicos.

Não dá para enxergar nada quando a vida está embaçada e cheia de lixo tóxico. A vida precisa ter transparência e os sentimentos precisam fluir com leveza no sentido de trazer para dentro de nós mais certezas e mais plenitude.

Chega uma hora que é preciso uma “limpeza e dedetização” embasadas naquilo que desejamos viver.

Precisamos ousar, arriscar, nos permitir, porque a felicidade é exigente; ela requer pessoas que lutem por aquilo que acreditam e que façam acontecer.

 

Silvana Nardello Nasihgil é psicóloga clínica com formação em terapia de casal e familiar (CRP – 08/21393)

silnn.adv@gmail.com

TOPO