Ecoville – Maior rede de limpeza
Paraná Produtivo - ADI-PR

Paraná tem o maior município brasileiro produtor de leite entre os listados no “Top 100 2020”

Produção leiteira

Carambeí, onde está localizada a matriz da Frísia Cooperativa Agroindustrial, é apontado como o maior município brasileiro produtor de leite entre os listados no “Top 100 2020”. O ranking, baseado em informações voluntárias de criadores, é realizado pelo portal MilkPoint, um dos mais importantes veículos sobre lácteos do Brasil. O MilkPoint realiza desde 2001 o levantamento, que analisa as informações do ano anterior ao lançamento do material. Carambeí, nos Campos Gerais do Paraná, tem oito propriedades no ranking, seguida por Castro, com quatro fazendas. As oito fazendas localizadas em Carambeí totalizaram 71,57 milhões de litros por ano, representando 9,38% da produção total dos Top 100 2020. Já as da cidade de Castro produziram no total 40,28 milhões de litros em 2019.

Casa do eletricista PRESSURIZADORES

 

Cocamar

Com praticamente 80% das lavouras de soja colhidas no Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, a Cocamar terminou a semana registrando o recebimento de mais de 1,18 milhão de toneladas de soja. O último recorde registrado da cooperativa foi em 2017, quando recebeu 1,17 milhão de toneladas de soja. A previsão da cooperativa é operar neste ano com 1,8 milhão de toneladas de soja, das quais 1,5 milhão depositadas por produtores cooperados. O restante será adquirido de terceiros. De acordo com o departamento técnico, a média geral de produtividade, de 3.286 quilos por hectare, tem ficado acima do volume que estava sendo estimado, de 3.203 quilos/hectare, como resultado do ciclo de clima favorável.

 

Previsão de safra

A associação que representa os agricultores que cultivam soja (Aprosoja Brasil) reduziu a previsão da safra do grão no país, passando de 123 milhões de toneladas para 120,6 milhões de toneladas, segundo comunicado divulgado na terça-feira (17). Se confirmado, o número ainda será recorde para o produto mais exportado do agronegócio brasileiro. A redução, segundo a Aprosoja, ocorre em meio a uma menor expectativa com a safra do Rio Grande do Sul (normalmente, o terceiro maior produtor brasileiro), que tem sido revisada nas últimas semanas diante de problemas com a estiagem no Estado. A estimativa dos agricultores vai em direção oposta à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que prevê safra de 124,2 milhões de toneladas no Brasil, mesmo com os problemas climáticos apontados no Rio Grande.

 

Dados consolidados

Em 2019, as 14 cooperativas paranaenses do ramo de infraestrutura encerraram o exercício somando 9.381 cooperados, 297 funcionários, 7.506 pontos de energia, faturamento de R$ 137,2 milhões, R$ 11,7 milhões em sobras, R$ 200,6 milhões em ativos e R$ 123,9 milhões de patrimônio líquido. Esses são alguns dos dados consolidados do segmento, levantados pela Coordenação de Monitoramento da Gerência de Desenvolvimento Cooperativo (Gecoop) do Sescoop/PR. “Quanto ao faturamento, houve uma redução de 4,9% em relação a 2018, devido à transferência da receita de geração energia para CNPJs específicos, de acordo com determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica”, afirma o coordenador de Monitoramento do Gecoop, João Gogola Neto.

 

Dólar forte

Em um cenário de baixa oferta interna e de dólar elevado, os preços domésticos do trigo em grão seguem firmes. O aumento expressivo da moeda norte-americana limitou ainda mais as importações do cereal – na segunda-feira (16) o dólar fechou a R$ 5,03, expressiva valorização de 6% frente à segunda anterior. Com vendedores retraídos e firmes em suas ofertas, a liquidez doméstica está baixa. Do lado da demanda, compradores com necessidade de estoques enfrentam dificuldades em encontrar lotes. No mercado de derivados, as cotações das farinhas seguem em alta, influenciadas pela sustentação no preço do trigo e pela valorização do dólar. Houve um leve aumento na demanda por esse derivado e a manutenção dos preços em algumas regiões. Para o farelo de trigo, a falta de chuva nas pastagens do Estado de Santa Catarina favoreceu as vendas, especialmente para criadores de gado.

 

Tratamento diferenciado

Cooperativas de todos os ramos terão garantia de tratamento favorecido, diferenciado e simplificado ao participar dos editais de contratação pública de bens, serviços e obras do governo federal – o maior consumidor do país. A notícia foi publicada na segunda-feira (16), no Diário Oficial da União. O decreto tem como objetivo incentivar a participação e a contratação de pequenos negócios nas compras governamentais, dando preferência e, em alguns casos, exclusividade para a contratação destes empresários, independentemente do modelo societário sob o qual estão organizados.

 

Média diária

A média diária embarcada de carne bovina in natura ficou em 6,0 mil toneladas na segunda semana de março, na qual registrou uma queda de 2,9% frente ao mês anterior. De acordo com dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços, o volume embarcado teve queda de 4,4%, se comparado com o mesmo período do ano anterior. O volume embarcado de carne bovina in natura na segunda semana de março foi de 59,6 mil toneladas, sendo que o mês de fevereiro exportou um total de 110,6 mil toneladas. O valor negociado ficou na casa de US$ 266,1 milhões, porém esse valor na média por dias úteis está próximo de US$ 26,6 milhões. O valor negociado do produto neste mês registrou uma queda de 3,1% frente ao mês anterior em que o valor comercializado foi de US$ 494,2 milhões e com uma média diária negociada em US$ 27,5 milhões.

 

Na Alemanha

Um caso de gripe aviária foi confirmado em uma fazenda de criação de frangos na Saxônia, no Leste da Alemanha, disseram autoridades alemãs na segunda-feira (16). O ministério de assuntos sociais e proteção no Estado da Saxônia disse que o caso envolve gripe aviária do tipo H5N8 e foi encontrado em uma fazenda em Bad Lausick, perto de Leipzig. Todas as aves na unidade foram sacrificadas e uma área de quarentena estabelecida ao redor. Uma série de casos da doença, que no passado levou a grandes impactos sobre a indústria de aves europeia e a programas de sacrifício em massa, tem sido registrada pela Europa nos últimos meses. Casos de gripe aviária foram registrados desde o final do ano passado em vários países da Europa Central. Um caso anterior havia sido registrado em uma ave selvagem na Alemanha, em janeiro.

 

Nas Filipinas

O secretário da Agricultura das Filipinas, William Dar, disse no início da semana que a gripe aviária H5N6, conhecida como gripe aviária, voltou a aparecer no país após dois anos da crise que afetou a região. A gripe foi detectada em uma fazenda de codornas na província de Nueva Ecija, após testes serem realizados no dia 13 de março, depois que mais de 1,5 mil das 15 mil codornas morreram no local. Os resultados da doença em codornas vivas do local atestaram positivos em todas as 30 amostras realizadas. Dar disse que 12 mil codornas da fazenda foram mortas e enterradas no dia 14 de março para não disseminar a doença pelo país. Ele ainda comentou que o país está implementando um protocolo com objetivo de conter a propagação da gripe aviária e que não há registros da doença em seres humanos.

 

Epagri

Está disponível para livre download o boletim publicado pela Epagri sobre o Sistema Orgânico de Produção de Tomates em Santa Catarina (Tomatorg). A publicação reúne resultados de 16 anos de pesquisa, discriminando as práticas culturais necessárias para produzir tomate orgânico, como produção em abrigos, adubação com base em composto orgânico, enxertia, uso de biofertilizantes e de agentes de controle biológico. O sistema desenvolvido pela equipe de Itajaí é resultado da soma de trabalhos de experimentação agrícola, pesquisas participativas com produtores tradicionais de tomate orgânico e da experiência de técnicos da Epagri envolvidos com a cadeia produtiva. As tecnologias indicadas na publicação possibilitam que produtores obtenham rendimentos superiores a 80t/ha – o dobro do observado comumente nos cultivos orgânicos.

 

Empresário industrial

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) caiu 4,4 pontos em março em relação a fevereiro, segundo pesquisa divulgada na quarta-feira (18) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse é o segundo recuo mensal consecutivo do índice, que já havia apresentado uma queda de 0,6 ponto em fevereiro. Segundo a CNI, desde janeiro de 2010, quando o ICEI passou a ser medido mensalmente, o índice só caiu mais que quatro pontos em apenas outras três oportunidades. Apesar da queda, o índice está em 60,3 pontos, o que mostra ainda confiança dos empresários e permanece acima da média histórica, de 53,8 pontos. A coleta de dados da pesquisa ocorreu entre os dias 02 e 11 de março, com participação de 2.420 empresas em todo o país. O indicador varia de zero a 100 pontos e valores acima de 50 pontos são considerados positivos.

 

Klabin inova

Maior fabricante de papéis para embalagem e de embalagens de papelão ondulado do Brasil, a Klabin está a caminho de produzir em larga escala o primeiro kraftliner do mundo feito exclusivamente a partir da fibra de eucalipto. O produto, batizado Eukaliner, rendeu premiação inédita à companhia brasileira num dos mais importantes fóruns da indústria global de celulose e papel, e será fabricado na primeira máquina de papel do Projeto Puma II, em Ortigueira, a partir de maio de 2021.

 

Redação ADI-PR Curitiba 

Coluna publicada simultaneamente em 20 jornais e portais associados. Saiba mais em www.adipr.com.br.

TOPO