Copagril
Elio Migliorança

PROPINABRÁS S/A

Até as pedras dos alicerces dos prédios de Brasília sabem que a venda da Construtora Delta foi um golpe para encobrir com uma cortina de fumaça as investigações sobre a teia de corrupção ali instalada. A compradora J&F Participações, se quiser fazer justiça ao povo brasileiro e usar um pouco de coerência, devia denominar a nova empresa de “Propinabrás S/A”, que foi o retrato da empresa nos últimos anos. Inacreditável seria se esta empresinha de fundo de quintal tivesse por meios lícitos sido transformada em tão curto espaço de tempo numa das maiores empresas do ramo e com mais de 90% do seu faturamento atrelado do setor público. O que temos visto não surpreende, apenas confirma o que todos sabemos: o cupim da corrupção está bichando o governo federal, os governos estaduais e municipais e os parlamentares estão prá lá de comprometidos com esta sujeira toda. Aliás, a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) virou uma palhaçada em curto espaço de tempo. Uma estupidez criada na Constituição de 1988 coloca nas mãos dos parlamentares poderes para os quais eles não possuem competência e moral para exercê-los. Aí está o ponto. Investigações deviam ser atribuições do Ministério Público e Polícia Federal. Por dois bons motivos. Primeiro que as pessoas investidas destas funções são profissionais treinados e qualificados para tal. Segundo porque ocupam estas funções graças à aprovação em concurso público, o que legitima sua atuação. A Polícia Federal só não tem levado a cabo suas investigações quando há interferência política, o que é lamentável. Agora, não tem lógica nenhuma parlamentares serem investidos do poder de polícia, por três bons motivos: primeiro porque não possuem qualificação para tal, segundo porque não possuem a isenção necessária que se espera de quem faz uma investigação e terceiro porque a classe política neste país está tão desmoralizada que a pose de moralista de certos parlamentares é recebida com uma gargalhada nacional.
As atitudes de certos parlamentares é um deboche à lei e à ordem. A maioria governista da CPMI insiste em manter a investigação restrita ao Brasil central, pois tremem apavorados com a possibilidade das investigações se estenderem por todo o território nacional. Claro, porque o rabo de alguns está preso em cada esquina das estradas deste país. Aquela famosa mensagem enviada pelo deputado Candido Vaccarezza apenas mostrou o quanto esta CPMI está “avacarezada”. São deputados e senadores querendo aparecer na mídia, dando a falsa impressão de que agora sim o país será passado a limpo. Isso é tão verdadeiro quanto uma nota de três reais.
A maior prova da incompetência do Congresso Nacional está na Constituição Federal promulgada em 1988, portanto com 24 anos de idade e que ainda não foi totalmente regulamentada. Há projetos de lei que estão há mais de dez anos tramitando nas comissões do Congresso e outros que nunca foram analisados. O resultado final das investigações feitas pelo Congresso nos últimos dez anos é a prova de que todo este tempo e barulho é um desperdício nacional que só serve para enganar os bobos que ainda acreditam em resultados práticos.

TOPO