Editorial

Proteção

É iminente a abertura de uma unidade do Procon em Marechal Cândido Rondon. Depois de anos e mais anos tentando viabilizar a estrutura, as autoridades conseguiram, enfim, trazer essa importante entidade para o município. É uma conquista que não só protege os consumidores dos abusos que por ventura são praticados por este ou aquele empresário, mas tem o poder de fiscalização e punição aos maus exemplos.
Além de receber e investigar denúncias, o Procon pode ir a campo para saber se de fato aquela promoção é mesmo uma promoção ou é uma enganação, pode fazer blitz para saber sobre a qualidade de um produto ou serviço oferecido, pode organizar pesquisas de preços que facilitem a vida dos consumidores, entre tantas outras possibilidades. Em pequenos municípios, como em Marechal Cândido Rondon, podem, com facilidade, observar a formação de cartéis.
Se nada der errado ou sair fora do script, a precisão é que em fevereiro o Procon abra suas portas no município e comece a atuar em prol dos consumidores. O Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon/PR – é um órgão subordinado à estrutura da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania. Foi criado em 1991 com o objetivo principal de orientar, educar, proteger e defender os consumidores contra abusos praticados pelos fornecedores de bens e serviços nas relações de consumo. Cerca de 28 anos depois de criado o primeiro Procon no Estado do Paraná, a entidade enfim crava suas raízes em solo rondonense.
E não somente os consumidores de Marechal Cândido Rondon e região estarão amparados com a chegada do Procon. Os próprios comerciantes e prestadores de serviços serão beneficiados com a atuação, punindo eventuais concorrentes desleais ou que estejam usando de má-fé para confundir as pessoas. Todos ficam à mercê da fiscalização. Os ruins pagam, os bons sobrevivem e agregam à sua carteira de clientes aqueles deixados pelos seus concorrentes. É uma relação em que todos ganham.
Agora é esperar para observar se a entidade vai realmente ser atuante, decisiva, influenciadora, ou se vai ser inerte, pálida e muda. É preciso que as pessoas que vão trabalhar na entidade sejam altamente capacitadas para tal, mas não apenas isso, que sejam pró-ativas, que façam acontecer e melhorem, de fato, a vida dos consumidores. Não basta apenas abrir as portas e esperar uma denúncia, é preciso movimentar a cidade em prol dos consumidores com campanhas, pesquisas e muita informação.
Um longo período já foi trilhado até aqui. Com esforços de muita gente, finalmente essa ideia está prestes a sair do papel. É uma conquista muito importante para os consumidores da região, que passarão a ser ouvidos com mais facilidade sobre seus dilemas envolvendo as compras. É uma vitória da comunidade inteira, que agora terá mais uma ferramenta para se proteger e proteger seus direitos nas relações comerciais. Agora é usar e contabilizar os bons resultados que o Procon possivelmente vai acumular na cidade.

TOPO