Copagril – Sou agro com orgulho
Arno Kunzler

Raiva, ódio e irresponsabilidade

Sou um admirador das redes sociais. Acho que elas são elemento fundamental para a nossa vida moderna.

Deram voz a todos e espaço para discutir problemas, desde familiares até da política mundial.

Casa do Eletricista – BOBCAT

Ali cabe tudo e muita gente, antes no isolamento e anonimato, ganhou fama discutindo e debatendo pelas redes sociais.

Todavia, um fenômeno parece estar acontecendo.

Pesquisando o perfil de pessoas, cuja opinião interessa muito, percebo que a grande maioria dos que, em tese, seriam um parâmetro para minhas conclusões deixaram por algum motivo de expor suas opiniões.

Conversando com pessoas influentes e moderadas, principalmente, descobri que elas fogem das redes sociais para não se envolver em discussões inúteis e debates rasteiros.

A pessoa simplesmente não expõe sua opinião para não ser triturada com agressões e xingamentos.

Quando a discussão mergulha no lamaçal das paixões, sejam religiosas, políticas ou esportivas, ou você se afasta e deixa as pessoas falarem sozinhas, ou mergulha no mesmo lamaçal e tenta sair ileso.

Consigo imaginar que se continuarmos assim, as redes sociais servirão mais para alimentar conflitos e despertar ódio, raiva e outros sentimentos do que construir algo positivo.

Sequer servirão para os políticos divulgar suas plataformas de campanha, já que estão expostos ao linchamento moral e à destruição de sua imagem.

Além do que, assistimos cada vez mais intervenções, seja de governos ou das próprias empresas como Facebook e WhatsApp bloqueando conteúdos.

No momento que as redes sociais tiverem comportamento parecido com alguns veículos de comunicação, com censura imposta por eles mesmos ou autoridades, deixarão de ter a relevância política que têm hoje.

O que efetivamente afasta as pessoas das redes é o nível das discussões e debates e a irresponsabilidade de alguns que sabem escrever bem, mas não sabem dosar suas críticas e opiniões.

A liberdade tem o seu preço. Dizer o que se pensa não é um exercício tão simples.

Tanto você pode atrair leitores com suas opiniões ou críticas, como pode afastá-los de perto de você, inclusive das suas redes.

 

Arno Kunzler é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos

arno@opresente.com.br

TOPO