Copagril
Silvana Nardello Nasihgil

Se afaste de pessoas tóxicas

 

Se afaste das pessoas tóxicas (Edgard Abbehusen). Achei essa frase incrivelmente verdadeira. Compartilho com vocês para a gente pensar.

“Pequenas grosserias devastam grandes amores”.

Se olharmos para a vida, quantas vezes a gente pratica esse tipo de atitude sem se dar conta, e quanto viemos aceitando dos outros atitudes que nos diminuem, maltratam, nos trazem sofrimentos psíquicos e emocionais.

Aquilo que é ruim não se dilui, aquilo de ruim que vivemos e aceitamos se soma. Chega uma hora que não há amor que resista, porque de pouco em pouco, uma hora cansa, e muito daquilo que poderia ter sido bom, no automático das grosseiras, acaba.

A gente precisa prestar atenção, porque gente grossa, é grossa. Não arrume desculpas nem para você nem para os outros, gente grosseira não é temperamental, é grosseira mesmo!!!

Não falo de violências graves, mas dos gestos e atitudes praticados e palavras ditas no dia a dia, sem interesse em perceber o outro, daquilo que a gente faz e aceita, justificando com banalidades, mas que quando contínuo tem grande poder destrutivo.

Um dia não tão bom como gostaríamos não nos dá o direito de sermos rudes com os outros porque a gente não pode esquecer que ninguém tem culpa daquilo que vivemos. Podemos fazer escolhas e se fizermos “erradas” ninguém deverá carregar as nossas culpas.

Vejo tanta gente se esforçando para estragar aquilo que poderia ser construído, que me faz pensar se a pessoa realmente não sabe o que quer ou se tem consciência e acha interessante ser grosseiro.

Um dia uma pessoa me disse: eu sei que sou grosso, porque eu sou temperamental. Eu sempre fui assim, quero as coisas do meu jeito. Eu fiquei olhando e respondi: você tem o direito de ser como você quiser, só não tem o direito de iludir uma pessoa para conquistá-la e só depois mostrar como você é. Se você quer ser assim, conte tudo sobre você quando você conhecer alguém, não esconda que você é grosso. Então quem te aceitar saberá o que vem no pacote antes de desembrulhar. Agora se você pretende esconder para só depois mostrar como você é, faça um favor para você mesmo, fique sozinho!

E no andar da vida a gente precisa prestar atenção nos pequenos detalhes. São neles que moram muito do que precisamos saber sobre nós e sobre o outro. E enquanto olhamos o outro, que tal um olhar para dentro de nós?

Será que somos gentis e amáveis na quantidade que podemos ser? Será que não estamos colocando as nossas amarguras nas nossas atitudes e fazendo os outros sofrerem?

A vida pode ser suave se aprendermos a carregar nossas escolhas tomando consciência de que são nossas, e se elas não nos fazem feliz, que tal mudar?

Tudo é passível de mudanças, mas se escolhermos não fazer nada, fazer nada também é uma escolha, e a responsabilidade com isso continuará sendo nossa.

 

Silvana Nardello Nasihgil é psicóloga clínica (CRP – 08/21393)

TOPO