Copagril – Sou agro com orgulho
Arno Kunzler

Semana de boas ações

É claro que devemos praticar boas ações o ano todo, mas especialmente nesta semana, em meio à pandemia que assola nosso país e, particularmente nossa região, vale cada atitude.

É um momento ímpar de nossas vidas, quando tudo nos incomoda.

Casa do Eletricista – BOBCAT

Primeiro o medo de ficarmos doentes ou termos alguém da família passando por uma situação terrível como a Covid-19 provoca.

Segundo, essas regras… mudanças, limitações, discussões e críticas sem medida.

Ah, como é difícil aceitar mudanças no comportamento coletivo.

O que serve para alguns, não serve para outros; o que uns exigem outros não aceitam; o que é bom para a saúde é ruim para o comércio, e assim por diante.

Que situação terrível e, pior, uns estão muito preocupados com a doença e outros zombam dela.

Uns não querem perder mais do que já perderam e outros querem ganhar mais do que já ganharam com a pandemia.

É mesmo dramático para muita gente, inclusive para quem está à frente tomando decisões.

Claro que isso um dia vai passar, esperamos muito por esse dia, mas as sequelas de quem foi afetado pela doença ficam para sempre.

Mas as piores sequelas são as que nós criamos com a nossa intolerância e incapacidade de compreensão e, sobretudo, de nos posicionar diante da realidade.

Estamos destruindo relacionamentos, amizades e criando distanciamentos desnecessários.

Por isso a semana da Páscoa vem para nos ajudar a entender o quanto é importante sermos tolerantes, sermos compreensivos, e mais do que isso, sermos solidários.

Entregar uma cesta de Páscoa com brinquedos e guloseimas para uma criança certamente vai ser maravilhoso para a criança, mas muito mais importante para nós mesmos.

Fica aqui o desafio: quem pode entregar uma cesta para uma criança, será ótimo. Quem pode entregar várias, será maravilhoso.

Um momento assim fica na nossa memória para sempre e nos faz melhores a cada novo encontro, a cada novo gesto e a cada nova descoberta.

Ser generoso nunca é demais, mas neste momento, quando interiorizamos as insatisfações que marcam esse período difícil das nossas vidas, parece não ser só bom, mas necessário.

Façamos desta Páscoa um momento especial, não só de compaixão, mas de compreensão, de tolerância e de generosidade.

 

Arno Kunzler é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos

arno@opresente.com.br

 

TOPO