Pastor Mário Hort

Senhor abra-nos uma fresta no céu! – 1ª parte

A “noite” do divórcio estava escura e o casal batalhava nas últimas tentativas de evitar o pior. Naqueles dias estive sentado na sacada de nosso apartamento, olhei para o céu estrelado e clamei ao Senhor: “Senhor, abra uma fresta no céu para o casal”. A senhora foi integrante do conjunto Ecos da Liberdade, e nós havíamos convidado o esposo a nos acompanhar na viagem para a evangelização, que aconteceu no auditório do Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba. Mas a “fresta no céu” não foi vista pelo casal. Pelo contrário, a “noite” ficou ainda mais negra e o divórcio aconteceu.

Recentemente encontrei este homem no culto de nossa igreja, quando ele me cumprimentou com um forte abraço e disse: “Pastor, agora eu vi a fresta no céu”. E eu lhe disse: “Sim, mas você está divorciado e sozinho?”. Ele respondeu: “Sim, mas agora conheci a ‘fresta no céu’ que o pastor tanto pediu para mim”.

Percebi então um pouco daquele brilho do céu nos olhos deste irmão, por quem seguimos intercedendo. Após muitas lágrimas e sofrimentos de ambas as partes, eu pude ver uma “faísca” de esperança para todos os envolvidos.

Convidamos os leitores a buscar “uma fresta nos céus” para a sua vida ao menos no que se refere à vida eterna. Não é possível ver as estrelas sem olhar para o céu e quando estamos rodeados por holofotes e brilhos artificiais. O pastor Isai Marcelo Hort, após o primeiro ano de estudos na Europa, aos 18 anos de idade, voltou para o Brasil e não se achou mais entre os seus amigos de 16 e 18 anos.

Então, numa noite escura, ele levou seus amigos para fora da cidade, até ao centro recreativo de nossa igreja e os convidou a olhar por longo tempo para o céu estrelado. Após olhar com atenção para o alto, o céu parecia nunca antes ter reluzido com tantas estrelas. O segredo foi que cada jovem fixou seu olhar no brilho das estrelas.

Tenha tempo para um silêncio em sua noite escura de problemas. Talvez seja necessário sair para o quintal de sua casa ou entrar em um quarto escuro e prostrado diante de Deus você deve observar a “fresta” que Deus já abriu sobre a sua vida no céu. Mas, se você estiver chorando, olhando para baixo ou até para o abismo, jamais poderá ver o céu aberto sobre a sua vida.

Em momentos de angústia, dor e tristeza, é comum não olhar para cima e nem reconhecer a miniatura de “frestinha” que Deus já abriu para nós. O maior perigo em momentos de aflição é fazer tudo errado e se precipitar no abismo, quando no “céu” de nossa existência já surgiu uma “fresta” que pode de fato ser uma abertura para o céu. Estou ciente que as pessoas pagam fortunas e gastam seu dinheiro com “promessas”, tanto de pastores como de feiticeiros e bruxos, para obter soluções imediatas, por mais que logo são precipitados para o inferno de sua vida, e pior será na eternidade.

Quero deixar apenas uma promessa para aqueles que agora precisam de uma “fresta no céu”: A Bíblia diz: “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus” (Rom. 8:28).

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

 

TOPO