Uningá Vestibular 2020
Elio Migliorança

SURPRESAS E DECEPÇÕES

Os últimos tempos foram de surpresas e decepções. O planeta foi surpreendido pela inédita notícia da renúncia de um papa, algo que ocorreu pela última vez antes do descobrimento do Brasil, o que comprova não ser fato corriqueiro. E este fato ainda vai render muitas especulações e comentários, os mais variados, mas na essência talvez nunca saibamos as verdadeiras razões de tal gesto e decisão. O fato concreto é que, para a Igreja Católica no mundo, haverá consequências, e todos estamos torcendo para que elas venham para o bem. No mínimo nós vamos ser testemunhas de um fato que muitas gerações não conseguiram testemunhar, afinal 600 anos não é pouco tempo, que é o fato de um papa cumprimentar o seu sucessor.
Mas não houve surpresas apenas na esfera mundial. Internamente também fomos surpreendidos. Na eleição de Renan Calheiros para a Presidência do Senado, um reconhecido ficha suja, descobrimos que a maioria dos senadores do Brasil também são ficha suja. Ouso afirmar isso porque, na minha opinião, quem vota em ficha suja é do mesmo “naipe” daquele que foi votado. Foi uma decepção e tanto, e o que é pior, temos que desconfiar de todos, afinal, a covardia histórica dos políticos criou a figura do voto secreto para poder acender uma vela para Deus e outra para o diabo. É lamentável que a classe política tenha chegado a um nível tão baixo, ao ponto de eleger um Renan Calheiros e Henrique Eduardo Alves para as duas casas legislativas federais.
A outra decepção foi saber que existem três mil vetos presidenciais na lista de espera para serem votados no Congresso Nacional. E isso que nós temos os parlamentares mais bem pagos do mundo. Afinal, o que eles estão fazendo o ano inteiro? Barganhando cargos? Negociando verbas, pas-seando com nosso dinheiro? Em qualquer empresa privada, com esta produtividade, seriam todos demitidos por justa causa, e poderiam até ser processados por recebimento ilegal de remuneração por serviços não prestados. Ou traduzindo assim bem no popular, poderíamos afirmar que é “falta de vergonha na cara”. Lamentavelmente, pela figura do voto secreto, não consigo saber se o meu senador votou a favor ou contra o abominável presidente e assim milhões de eleitores pelo Brasil afora, podem estar vivendo o mesmo dilema, isso se formos otimistas e acreditarmos que existem milhões de eleitores conscientes.
E a última surpresa, a mais cruel das decepções que chega a ser estarrecedora, foi a denúncia de que no Hospital Evangélico de Curitiba há uma “gangue”, outro nome mais apropriado não encontrei, que age na UTI do hospital, matando pacientes lá internados. Lá onde você acha que estão concentrados todos os recursos para recuperar a saúde e consequentemente a vida, quando o ser humano está totalmente indefeso e à mercê de quem deveria cuidá-lo, alguns se dão o direito de decidir quem vai viver ou morrer. Para completar, há muitos doentes por aí que só conseguem determinados medicamentos através de ordem judicial. É o fim da picada. Saúde é dever do Estado e um direito do cidadão. Não é um favor que nos fazem, conquistamos o direito pelos impostos de pagamos.

TOPO