Copagril
Dom João Carlos Seneme

Teus pecados estão perdoados. Vai em paz!

O Evangelho deste 11º Domingo do Tempo Comum coloca em evidência a missão de Jesus que veio para revelar o rosto misericordioso do Pai. São Lucas acentua que Jesus coloca-se ao lado dos pecadores, sua mensagem é dirigida àqueles que querem mudar de vida e lhes oferece esta oportunidade. Por isso é procurado com sinceridade pelos pobres, doentes, publicanos, mulheres que querem mudar de vida. A todos Ele oferece uma oportunidade, são acolhidos com amor e por isso tornam-se seguidores de Jesus numa vida nova.

Jesus está na casa de um fariseu e senta-se à mesa com ele, gesto que indica amizade, comunhão de vida. Era costume os convidados tirarem as sandálias antes da refeição e reclinaram-se em almofadas. O anfitrião deveria oferecer ao convidado atenção e cordialidade: lavar os pés, dar o beijo de acolhida e ungir a cabeça. Neste caso tudo foi omitido. Entra em cena uma mulher que manifesta a sua alegria acolhendo o Senhor com todos estes gestos. Ela se reconhece pecadora e certamente veio até Jesus comovida pelas suas palavras e ações. As palavras de Jesus tocavam os corações dos pecadores, iluminava sua realidade e vida e os ajudava a procurar o perdão de Deus. Percebemos aqui um contraste entre o fariseu e a mulher, pecadora pública. Ele é correto e cortês, porém não demonstra apreço. A mulher, contudo, entra num lugar onde não é convidada e demonstra a sua afeição e o desejo de conversão. As atitudes da mulher e de Jesus escandalizam o fariseu e convidados porque não veem o que está acontecendo no coração desta mulher, mas somente que ela é uma pecadora. Jesus, então, coloca em voz alta o que está acontecendo e perdoa os pecados da mulher oferecendo-lhe a oportunidade de conhecer o amor misericordioso do Pai.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Frequentemente vemos nos evangelhos a atitude de rejeição dos fariseus e doutores da lei: quando Jesus realiza gestos ou pronuncia palavras que revelam misericórdia, eles respondem com um pensamento de condenação e julgamento e, depois, externamente rejeitam Jesus. Podemos ver isto claramente na parábola do fariseu e do publicano que vão ao templo para rezar: um se vangloria de ser perfeito e o outro reconhece que é pecador e que precisa do perdão de Deus. Jesus sempre denuncia este tipo de atitude que revela a hipocrisia e a dureza de seus corações. Os fariseus eram piedosos em suas práticas de oração, de jejum e esmola, porém, escondiam um coração incapaz de perdoar e sempre pronto ao julgamento e à condenação de todos que eram iguais a eles.

Realmente, o que aconteceu na casa de Simão foi significativo para todos: Deus se revela, em Jesus Cristo, um Pai misericordioso. Revela que Deus detesta o pecado, mas ama os pecadores. O Pai está sempre ao nosso lado, manifesta seu amor através de Jesus e da assistência do Espírito Santo. Oferece constantemente oportunidades para nos salvar; da nossa parte espera-se que não deixemos a graça passar em vão. São João Cruz disse que “no crepúsculo da vida, seremos julgados pelo amor”. Sejamos continuadores da missão de Jesus vivendo a misericórdia e praticando o amor.

 

Bispo da Diocese de Toledo

revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO